Conheça os 8 principais EPIs para a indústria frigorífica

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Entender a importância do EPI para indústria frigorífica e quais são os mais utilizados é necessário para garantir saúde, integridade e segurança da equipe. Isso porque o profissional pode estar exposto a vários riscos, como baixas temperaturas, movimentos repetitivos, uso de utensílios cortantes, entre outros.

Para evitar acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, não há dúvidas de como é fundamental ceder os EPIs adequados. Mas você sabe como identificá-los, já que cada atividade exige tipos de itens diferentes? Então, continue a sua leitura!

Quais são os principais riscos das atividades realizadas em frigorífico?

Antes de identificar quais são os EPIs para indústria frigorífica, é importante entender os principais riscos:

  • desenvolvimento de doenças provocadas pela câmara fria do local, que pode chegar a zero grau, como hipóxia ou ulcerações da pele;
  • acidentes ocorridos pelo uso de ferramentas perfurocortantes no processamento de carnes;
  • casos de LER/DORT gerados por movimentos repetitivos em curtos espaços de tempo;
  • infecções ligadas à presença de agentes biológicos, entre outros.

Que EPI’s para a indústria frigorífica devem ser utilizados?

Após encontrados os principais riscos, é o momento de identificar os EPI’s necessários para que os profissionais possam desenvolver seu trabalho com segurança e bem-estar. Conheça os mais importantes!

1. Aventais

Existem vários processos ao longo da produção de carnes e seus derivados que usam substâncias químicas ou água. O avental tem a finalidade de proteger o corpo do colaborador, gerando impermeabilidade e conforto térmico. É essencial para quem atua em abatedouro ou em locais com câmaras frias.

2. Botas e calçados

O calçado precisa envolver os pés, protegê-los e proporcionar uma locomoção confortável. É obrigatório em qualquer frigorífico, principalmente onde há maiores riscos de quedas. As botas podem ser de diversos modelos:

  • bota térmica de couro: protege contra a queda de itens pesados, assegura conforto térmico e pode ser usada para temperaturas altas ou baixas;
  • bota de PVC: tem funcionalidade antiderrapante, sendo mais usada em locais com muita umidade e por quem tenha contato direto com fluídos. Entre seus benefícios está a alta durabilidade e a facilidade para lavar.

3. Luvas

É normal na produção de carnes o uso de objetos cortantes e o contato com agentes biológicos, produtos químicos e demais, causando risco ao funcionário. Por isso, existem vários modelos de luvas, que devem ser usados conforme a função:

  • luva nitrílica: indicada para atividades que exijam contato frequente com substâncias químicas prejudiciais à saúde, podendo ser reutilizável ou descartável;
  • luva resistente a corte: também chamada de luva anticorte, pode ser desenvolvida com elos de aço inoxidável ou fios sintéticos. Tem alta resistência mecânica e protege o profissional de cortes, lesões ou perfurações;
  • luva de látex: é recomendada para a execução dos processos gerais leves e médios, assegurando o empregado em locais secos e úmidos;
  • luva térmica: item que gera o conforto térmico para as mãos do colaborador.

4. Óculos de segurança

Os óculos têm objetivo importante de proteção aos olhos do trabalhador. Na indústria frigorífica, existem riscos de fluídos esguichados, partículas em lançamentos, líquidos corrosivos, entre outros. Por esse motivo, esse equipamento com lentes resistentes e transparentes é fundamental para quem trabalha no setor.

5. Mangotes

Os mangotes têm como função envolver os braços e proteger o profissional de respingos e contato com peças cortantes e agentes corrosivos, além de propiciar adequação térmica. Eles podem ser:

  • mangote tricotado: feito com fios sintéticos e revestido de polietileno, fazendo com que ele tenha alta resistência mecânica;
  • mangote descartável de polietileno liso: muito utilizado em atividades que necessitam de proteção do produto, por exemplo, processamento de carne in natura.

6. Máscara de proteção

Da mesma maneira que o mangote descartável, é indicada nas tarefas em que é preciso manter a proteção em relação ao produto.

7. Capacete de segurança

Esse EPI protege a cabeça do funcionário nos casos de queda de objetos ou até mesmo, de promover o conforto térmico. É necessário ressaltar sua relevância, tendo em vista que a cabeça é uma das regiões mais sensíveis do corpo humano.

8. Vestimenta de trabalho

Além dos EPIs já mostrados, é preciso ter cuidado com a vestimenta. Ela tem a atribuição de envolver as partes do corpo e gerar o isolamento térmico. Entre as principais peças, podemos apontar:

  • japona térmica;
  • calça frigorífica;
  • macacão de segurança;
  • meia térmica;
  • capuz de malha e demais.

Em relação à periodicidade para a troca de um EPI para indústria frigorífica, assim que um defeito ou dano for encontrado no item, ele deve ser rapidamente substituído. Dessa forma, a troca deve acontecer na data indicada pelo fabricante ou quando surgir qualquer fato que comprometa a sua utilização.

Por esse motivo, estar atento a qualquer situação, como corte ou desgaste no tecido, é essencial para garantir a segurança e saúde do colaborador.

Qual é a importância da NR 36 para o trabalho na indústria frigorífica?

A NR 36 foi desenvolvida com o intuito de determinar as medidas para garantir a segurança e a integridade física do trabalhador nas atividades desenvolvidas em frigoríficos. Seu papel é criar um padrão de qualidade para avaliação, controle e acompanhamento dos riscos que existem nesse tipo de segmento.

Por meio dos requisitos mínimos determinados, é possível a execução do trabalho de forma segura, sempre priorizando a proteção dos profissionais.

Agora que você já sabe a importância do EPI na indústria frigorífica e quais são os principais, é importante ter em mente que é uma responsabilidade da empresa disponibilizar todos os equipamentos necessários para garantir a segurança dos empregados.

Por isso, algumas estratégias devem ser implementadas nesse momento. Entre elas, contar com um fornecedor confiável, que tenha uma boa experiência no mercado, credibilidade e produtos com qualidade e boa procedência.

Além disso, realizar o treinamento para o uso correto dos EPI’s, já que é necessário respeitar as normas regulamentadoras, conservar todos os acessórios, cumprir as medidas de proteção e entender a importância de buscar a segurança do trabalho na rotina do negócio.

Achou o assunto interessante e deseja aprender um pouco mais sobre ele? Então, aproveite sua visita no blog para baixar o nosso Guia Completo de EPIs para frigoríficos e se tornar um expert no tema!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts