Imagem: Logo Volk do Brasil
Publicado em 01/10/2019

Como escolher a luva de segurança ideal de acordo com a necessidade do cliente?


Como escolher a melhor luva de segurança para recomendar para o seu cliente? Em toda escolha de EPI, alguns passos devem ser tomados para garantir que eles são adequados para as funções em que são utilizados e estão aptos a proteger aqueles que os adotam no dia a dia. São cinco as etapas imprescindíveis para identificar o equipamento de proteção individual certo para uma equipe.

Tudo começa com uma análise de risco, seguida pela avaliação dos produtos disponíveis no mercado, a execução de testes e treinamentos junto ao usuário, a inspeção de uso e a revisão periódica da escolha para verificar se ela continua adequada.

Quer entender como cada uma dessas etapas funciona e que papel elas têm para ajudar você a escolher a luva de segurança ideal para os seus clientes? Continue a leitura e vire especialista no assunto!

Em que casos a luva de segurança é exigida?

É preciso oferecer luva de segurança para todos os trabalhadores que estão sob risco de corte, contaminação, perfuração, impacto, choque térmico, queimaduras ou risco biológico. De acordo com a NR-6, cabe ao empregador oferecer a proteção necessária para que um funcionário desempenhe suas funções com eficiência e conforto. 

Ao profissional, por outro lado, cabe zelar pela durabilidade dos EPI's e comprometer-se com o uso adequado deles, sempre que a função exercida exigir a presença desses itens.

O uso de luvas de segurança é imprescindível na execução de uma porção de tarefas em várias indústrias. Elas são utilizadas, por exemplo, no setor alimentício para proteger o colaborador e os produtos de contaminação cruzada. 

Dentro dos hospitais, as luvas de segurança garantem que enfermeiros e médicos interajam sem colocar suas respectivas vidas em risco, e isso é válido também nos consultórios de dentistas. Em algumas funções específicas, como a de soldador, é a luva de segurança a responsável por evitar que as mãos do profissional se queimem ou se cortem durante o processo.

Como a luva de segurança protege a integridade do colaborador?

Mas como as luvas conseguem oferecer toda essa proteção? Há muitos tipos diferentes delas no mercado e, só por essa breve descrição da função que têm em cada área, já podemos imaginar que cada uma delas é feita de um material específico, com características e níveis de proteção diferentes.

Enquanto algumas luvas contam apenas com proteção mecânica, outras oferecem também proteção química. O que todas elas têm em comum, porém, é o fato de criarem uma barreira entre os agentes nocivos que estão no meio ambiente e a pele do colaborador. 

Por isso, escolher a luva de segurança adequada é uma tarefa muito importante, já que qualquer erro (na seleção dos materiais ou do nível de resistência que esse EPI precisa oferecer) pode significar desde a propensão a uma doença laboral até a perda da capacidade motora.

Como escolher a luva de segurança ideal para as necessidades do cliente?

Quer saber como não errar na recomendação de luva de segurança para o cliente da sua revenda de EPI? Aqui no blog nós já explicamos algumas vezes como é importante oferecer não só bons produtos, mas também suporte para que eles sejam utilizados, e sempre fazemos o nosso melhor para ensinar você a passar essas informações para seus parceiros.

Confira, no passo a passo abaixo, como funcionam aquelas cinco etapas da avaliação desse equipamento de proteção individual!

Passo 1: analise o risco a que os colaboradores estão submetidos

O primeiro passo para escolher a luva de segurança certa para o seu cliente é conhecendo as funções desempenhadas pelos colaboradores que ele pretende proteger. Quem busca por EPIs para soldador tem necessidades muito diferentes do que a pessoa que entra na sua loja procurando por equipamentos de proteção para um consultório médico. 

Cabe ao revendedor fazer as perguntas certas para determinar os tipos de risco do ambiente de trabalho e o melhor curso de ação para identificar o conjunto de EPI's ideal.

Passo 2: avalie os principais produtos disponíveis no mercado

Depois de entender os riscos dos profissionais, é hora de comparar as soluções que existem no mercado. Há muitas luvas que oferecem resistência mecânica, mas apenas algumas delas (como a Luva Cut Oil Full) oferecem ambas: resistência mecânica e química.

Em funções nas quais o colaborador entra em contato com ambos os tipos de risco, portanto, ela ganha vantagem em relação a outros modelos.

Faça uma tabela e compare funcionalidade, durabilidade e preço das luvas de segurança que oferece em sua revenda para escolher rapidamente o modelo mais recomendado para o seu cliente.

Passo 3: faça testes com o produto escolhido em ambiente controlado

Depois de fazer a seleção dos principais produtos que atendem o seu cliente, faça testes com eles. Veja qual se adapta melhor ao perfil dos usuários, oferece mais conforto e usabilidade no dia a dia e, se preciso, treine os profissionais para que eles saibam sempre as situações em que devem utilizar o EPI. Não se esqueça de informar aos colaboradores como podem higienizá-lo para que ele dure pelo máximo de tempo possível.

Passo 4: inspecione o uso da luva de segurança

Inspecionar e cuidar para que os EPI's escolhidos sejam bem utilizados também é parte importante do sucesso na escolha de uma luva de segurança. Utilizá-la para funções para as quais não são recomendadas (como adotar uma luva de nitrila para proteger-se do calor e não de agentes químicos e biológicos) é um comportamento que inutiliza o EPI, fazendo com que ele não seja o suficiente para poupar o colaborador. 

Recomendações claras de uso são fundamentais para que o equipamento de proteção cumpra seu papel.

Passo 5: verifique se as luvas continuam adequadas às funções para que foram designadas

Por último, não se esqueça de reavaliar periodicamente o produto que recomenda para o seu cliente. Verifique se houve alguma mudança no ambiente de trabalho que justifica a compra de outro equipamento (como a soma de um risco adicional na rotina dos profissionais ou a subtração de um deles) e fique sempre de olho nas novidades do mercado. 

Algumas simples perguntas vão ajudar você a fazer recomendações melhores e a fidelizar o consumidor pelo bom atendimento.

Bônus: identifique os riscos associados ao uso de cada luva de segurança

Quer oferecer um serviço realmente diferenciado para os seus clientes na revenda de EPI? Então, invista na análise de risco de cada produto.

Antes de recomendar um item, você precisa fazer um comparativo entre os principais produtos disponíveis no mercado naquela categoria, como já mencionamos aqui.

Se esse comparativo incluir detalhes como as reações alérgicas a que alguns colaboradores podem estar submetidos (como a alergia a látex), será mais fácil oferecer um serviço mais completo para o seu cliente.

Junto a essa avaliação, você poderá anexar sugestões de outros produtos de EPI para colaboradores que apresentam essas necessidades específicas (reações alérgicas) e conseguirá surpreender positivamente o seu consumidor.

E aí, acha que está pronto para fazer uma boa recomendação de luva de segurança? O importante para obter sucesso nessa área é estudar constantemente os equipamentos disponíveis no mercado, a capacidade de cada um deles e nunca deixar de se atualizar. Ter um bom fornecedor de EPI também vai ajudar, afinal, ele poderá fornecer materiais e suporte para que você aprenda tanto sobre os produtos quanto sobre o que é preciso para ser um ótimo revendedor.

Agora que você já sabe quase tudo que há para aprender sobre luva de segurança, que tal conhecer os melhores equipamentos do mercado? Fale agora mesmo com um consultor da Volk do Brasil e fique por dentro dos modelos de luvas que pode recomendar aos seus clientes!


Últimos posts