Imagem: Logo Volk do Brasil
Publicado em 29/05/2020

Entenda a importância do EPI para limpeza hospitalar


Ricardo*, gestor de um hospital referência em sua cidade, resolveu realizar uma inspeção na unidade após o surgimento de alguns casos de contaminação nos colaboradores responsáveis por realizar a limpeza do ambiente, provocados pelo contato com fluídos corporais de terceiros, manipulação de produtos químicos, entre outros.

Durante sua atividade, conseguiu descobrir as principais causas de acidentes e doenças na sua equipe, além da importância de proporcionar os EPI’s necessários para garantir a saúde, bem-estar e segurança de todos os profissionais.

Entenda melhor a jornada de Ricardo na busca por um controle de higiene eficaz e que proporcione o mínimo de riscos possíveis aos funcionários responsáveis pela função!

Identificação das principais causas de contaminação dos profissionais de limpeza

Antes de implementar estratégias eficazes de prevenção de riscos, foi necessário que Ricardo identificasse os principais motivos de contaminação dos profissionais da área da limpeza. Durante uma pesquisa, foram encontrados diversos pontos. Entre eles podemos destacar:

  • riscos químicos, provocados pelo contato direto com materiais de esterilização e desinfecção, como o óxido de etileno;
  • riscos biológicos, gerados pelo contato com fluídos de pacientes;
  • falta de descarte correto de resíduos hospitalares por parte dos outros membros da equipe, por exemplo, agulhas, fazendo com que o responsável pela limpeza tenha ferimentos ao retirar o lixo do local.

Percepção da melhor estratégia para resolver o problema

Depois de entender as causas que proporcionavam os maiores riscos à saúde da equipe de limpeza do hospital, Ricardo começou a pensar nas práticas mais adequadas e que chegassem ao melhor resultado.

Foi quando chegou a conclusão que o uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), era o principal aliado nesse processo, tendo em vista sua capacidade de contribuir para a manutenção do bem-estar e integridade física de todos os trabalhadores que exercem atividades em situações de risco.

O uso correto de EPI protege de riscos físicos, biológicos, químicos, ergonômicos e de acidentes, além de cumprir com o estabelecido pela Norma Regulamentadora nº 6, que defina a obrigatoriedade da utilização desses itens.

Dessa forma, ficou entendido que era imprescindível o uso dos seguintes equipamentos pelos profissionais do setor de limpeza hospitalar:

  • luvas de proteção: previnem contra queimaduras, reações alérgicas, ferimentos por objetos cortantes, contaminação por bactérias e vírus causados pelos vários tipos de substância que são manuseadas durante a limpeza de uma unidade hospitalar;
  • máscara e óculos de proteção: evitam lesões nos olhos e intoxicações causadas pelo uso de produtos químicos com cheiro muito forte;
  • aventais impermeáveis: protegem contra a umidade e exposição da pele aos produtos químicos;
  • botas antiderrapantes: resguardam o funcionário dos escorregões e quedas devido ao acesso a pisos molhados, ou de ferimentos por materiais cortantes que tenha contato acidentalmente.

Entendimento sobre o uso correto dos equipamentos para a eficácia da proteção

Ricardo também compreendeu que os EPI’s para os colaboradores da limpeza devem ser usados conforme as orientações dos engenheiros, médicos e técnicos de segurança do trabalho, considerando que são os profissionais responsáveis por criar programas de segurança, além de realizar as análises de riscos por meio de documentos como o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).

Dessa forma, conseguem indicar as melhores soluções para reduzir os perigos inerentes à atividade exercida e os equipamentos mais adequados para cada função.

Busca pelos EPI’s necessários para sua equipe

Uma outra informação crucial que Ricardo conseguiu foi que o fornecimento gratuito de todos os equipamentos de proteção individual é responsabilidade da empresa. Além disso, é preciso fiscalizar para garantir que os funcionários utilizem os itens de forma correta e alertá-los quanto a necessidade de comunicar caso algum dos equipamentos esteja fora do prazo de validade ou não esteja em perfeitas condições de uso, para que a troca seja realizada.

Ricardo conseguiu entender que o EPI não é apenas um objeto para a manutenção da saúde e integridade física da equipe de limpeza mas, também, uma maneira de otimizar a execução das tarefas e se manter adequado à lei, já que a Norma Regulamentadora nº 6 impõe essa obrigatoriedade.

Então, como forma de cumprir todos os requisitos estabelecidos por lei, manter a unidade hospitalar limpa e organizada, minimizando os riscos e acidentes, Ricardo resolveu fazer uma pesquisa de mercado para encontrar uma empresa qualificada.

Foi assim que ele encontrou todos os EPI’s com qualidade e preço justo e conseguiu ter uma equipe saudável e motivada.

Gostou da história de Ricardo? Então, assine nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!

* O personagem do conteúdo trata-se de uma figura meramente fictícia e ilustrativa.


Últimos posts