Imagem: Logo Volk do Brasil
Publicado em 18/09/2019

EPI para indústria: conheça os principais!


Você sabe quais são os tipos de EPI para indústria? Segundo a Lei brasileira, cabe ao contratante garantir a segurança dos profissionais que trabalham em seu negócio — e isso quer dizer oferecer os equipamentos de proteção individual certos para que os funcionários não tenham problemas ao exercer suas funções. 

É a Lei n.º 6.514/77 da CLT, regulamentada pela NR6, que identifica as responsabilidades do empreendedor em relação aos EPIs. Para cumpri-la, o dono do negócio deve trabalhar com um profissional de Segurança do Trabalho, para determinar quais são os riscos a que seus colaboradores estão submetidos.

No artigo de hoje, mostramos os tipos de EPI para indústria mais utilizados e explicamos como cada um deles ajuda a proteger seus colaboradores. Continue a leitura para aprender!

Luvas

As luvas são alguns dos equipamentos de proteção individual mais utilizados pelos colaboradores. Todas elas servem para proteger as mãos, mas há no mercado uma série de variações com características distintas. Há luvas que protegem contra o calor e perfurações, bem como há aquelas que evitam o contato com materiais químicos, protegem do frio ou que podem ser descartadas a cada utilização.

As luvas devem ser escolhidas em função das tarefas que cada colaborador executa e podem ser diferentes para cada área do negócio. Assim como outros EPIs que citaremos nesta lista, elas precisam ser inspecionadas antes e depois do uso e substituídas sempre que apresentarem rasgos, perfurações ou qualquer desgaste que possa colocar o funcionário em risco.

Capacetes

O capacete é outro EPI importante e tem como principal função proteger a cabeça do colaborador de impactos, quedas de equipamentos, queda de altura e perfurações ou choques elétricos.

Os capacetes precisam ser sempre utilizados de maneira correta, na posição indicada pelo fabricante, e devem também ser inspecionados a cada uso. Um capacete danificado não oferecerá conforto nem proteção ao usuário, portanto, é preciso estar sempre atento para ranhuras e rachaduras na peça.

Calçados de proteção

Os calçados de proteção são feitos com material mais resistente do que o encontrado em botas e tênis comprados em lojas comuns. Esses itens são confeccionados em plástico, couro ou borracha e geralmente contam com algum tipo de proteção interna, como uma ponteira de metal para impedir que choques com maquinário e a queda de equipamentos pesados causem danos na capacidade motora do funcionário.

Dependendo do setor em que o colaborador trabalha, haverá um calçado específico para ele, que pode servir tanto para evitar esses acidentes mecânicos quanto para protegê-lo de outras forças, como a eletricidade ou o contato com materiais contaminados, frio ou calor. Outra função para calçados de proteção é a de impedir que quedas aconteçam em áreas nas quais é comum encontrar o piso molhado ou escorregadio.

Calçados de proteção devem ser designados para todos os colaboradores, ter tamanhos individualizados e precisam ser limpos e cuidados ao final da jornada de trabalho.

Óculos

Os óculos de proteção visual são EPIs que visam impedir que os olhos sejam contaminados ou entrem em contato com partículas que possam machucá-los, protegendo-os contra luminosidade excessiva e radiação. 

Há vários modelos, como aqueles fabricados com lentes transparentes, amarelas ou escuras, para manter o funcionário seguro sob o contato com luminosidade normal, baixa ou alta, respectivamente.

Os óculos nunca devem prejudicar a função que o colaborador exerce no trabalho. Assim como acontecem com outros EPIs, eles devem ser escolhidos para proporcionar o máximo de segurança e conforto para a equipe.

Protetores auriculares

Um dos riscos mais encontrados na indústria é o contato excessivo com ruídos feitos por máquinas. Estar próximo a esses barulhos de maneira constante aumenta as chances de se perder a audição ou tê-la diminuída. Portanto, protetores auriculares são equipamentos de proteção comumente utilizado nos mais diversos setores industriais.

Eles podem ser reutilizáveis, feitos no formato de concha e parecer muito com um fone de ouvido. Mas há opções descartáveis, que devem ser trocadas periodicamente para manter sua efetividade.

Esses protetores devem estar presentes no kit de EPI utilizado pelo colaborador sempre que o ruído identificado no ambiente de trabalho for maior do que 85 decibéis. Esse é o volume máximo ao qual um funcionário pode estar exposto em jornadas de oito horas.

O protetor ideal é aquele que prejudicará menos as funções do colaborador e conseguirá garantir conforto e proteção em relação ao barulho que ele experimenta no ambiente.

Respiradores

A proteção respiratória é outra preocupação dos técnicos de segurança do trabalho. Por isso, o uso de respiradores é recomendado a todos os colaboradores que entram em contato com gases tóxicos, poeira e outros tipos de contaminantes.

Há muitas opções no mercado dentro dessa categoria, mas a maior parte dos respiradores conta com filtros capazes de impedir que o colaborador inale partículas que prejudiquem a sua saúde. Eles devem ser confortáveis de se utilizar e é preciso treinar os funcionários para que eles saibam exatamente quais áreas da indústria não podem ser visitadas sem o uso do equipamento.

Vestimentas de proteção térmica

As vestimentas de proteção térmica são bastante comuns na indústria alimentícia. São utilizadas para impedir que o colaborador tenha problemas ao ficar exposto ao frio por longos períodos de tempo em câmaras frigoríficas, por exemplo.

As vestimentas de proteção térmica devem oferecer o máximo de conforto para o colaborador, não podem prejudicar os seus movimentos e precisam ser inspecionadas diariamente. Assim como acontece com outros EPIs que você conheceu aqui, a substituição deve ser feita pela empresa sem custo adicional — caso o dano provocado não tenha sido feito propositalmente pelo colaborador, e sim um resultado da ação do tempo ou de acidentes de trabalho.

Para garantir a segurança dos funcionários, porém, não basta conhecer os equipamentos de proteção individual mais utilizados. É necessário contar com um fornecedor de confiança, capaz de identificar as necessidades individuais dos seus colaboradores de acordo com suas funções e indicar quais são os produtos mais adequados para mantê-los protegidos.

Gostou de conhecer melhor os principais tipos de EPI para indústria? Não perca tempo e comece a proteger os seus funcionários o quanto antes. Fale agora mesmo com um consultor da Volk do Brasil e solicite um orçamento!


Últimos posts