Imagem: Logo Volk do Brasil
Banner: Baixe grátis o Guia de Luvas de Segurança - Aprofunde seu conhecimento sobre o vasto mundo das luvas de segurança. Banner: Baixe grátis o Guia de Luvas de Segurança - Aprofunde seu conhecimento sobre o vasto mundo das luvas de segurança.
Publicado em 24/05/2017

Taxa de gravidade: entenda o que é e aprenda a calculá-la


Você saberia determinar quantos dias de trabalho foram perdidos por sua empresa em função dos afastamentos de funcionários vitimados por acidentes de trabalho? Para chegar a esse resultado basta calcular a taxa de gravidade.

O que é a taxa de gravidade?

A NBR 14280 define a taxa de gravidade como sendo o tempo computado por milhão de horas-homem de exposição ao risco, em determinado período.

Traduzindo, isso significa que pela taxa de gravidade é possível determinar quantos dias de trabalho foram perdidos em decorrência de afastamentos do trabalho, incapacidades permanentes ou mortes para cada 1 milhão de horas de trabalho realizadas em uma empresa em determinado período.

Ou seja, esse dado determina quanto tempo de trabalho uma empresa perde em função dos acidentes em um determinado período – que pode ser de um mês, por exemplo.

Porque essa medição é importante?

Muito mais do que o aspecto da produtividade, pelo ponto de vista do bem-estar do trabalhador a taxa de gravidade permite que seja feita a análise sobre a gravidade dos riscos aos quais os trabalhadores estão expostos.

Assim, é possível confrontar essa informação com as medidas de segurança do trabalho que estão sendo adotadas pela empresa, a fim de atestar se elas são de fato eficientes ou se precisam de aprimoramento.

Quais dados preliminares são necessários para o cálculo?

Para calcularmos a Taxa de Gravidade previamente precisamos saber quantos dias foram perdidos de trabalho e quantos dias foram debitados.

Os Dias Perdidos dizem respeito aos dias de trabalho durante os quais o empregado ficou afastado em decorrência de algum acidente de trabalho, excluído o dia do acidente propriamente dito e o dia do retorno.

Os Dias Debitados são aqueles que devem ser debitados no caso de morte ou de incapacidade permanente do trabalhador, em conformidade com o Quadro 1 da NBR 14280. Por exemplo, a morte do trabalhador gera um débito de 6.000 dias de trabalho, ao passo que a amputação de uma mão gera débito de 3.000 dias e a perda da visão de um olho 1.800 dias.

Ainda precisamos ter a somatória das horas de trabalho de todos os empregados da empresa naquele determinado período de tempo para o qual deseja-se saber a Taxa de Gravidade durante os quais eles ficaram expostos aos riscos de acidentes de trabalho.

Por exemplo, se uma empresa tem 10 funcionários trabalhando 40 horas semanais, teremos 400 horas-homem de exposição ao risco durante uma semana (10 x 40).

De posse dessas informações, basta aplicar a fórmula abaixo.

Como calcular a Taxa de Gravidade?

Vamos considerar:

  • TG, como sendo a Taxa de Gravidade;

  • T é o tempo computado pela somatória entre os Dias Perdidos e os Dias Debitados e

  • H é o dado horas-homem de exposição ao risco.

Assim, TG = T x 1000/H

Por exemplo, em uma empresa com 500 funcionários trabalhando 200 horas/mês cada um, na qual em um mês ocorram três acidentes de trabalho, um deles resultando em uma amputação de perna - 4500 dias debitados – e os outros dois em três e cinco dias de afastamento, respectivamente, teremos:

TG = (3 + 5 + 4.500) x 1000/ 500 x 200 = 45,08.

O que representa que para cada 1 milhão de horas trabalhadas houve perda de 45,08 dias em decorrência de acidentes de trabalho.

Agora que você já sabe como calcular a taxa de gravidade, baixe o nosso e-book sobre Prevenção de Acidentes no Trabalho: como reduzir adversidades.

 


Últimos posts




Comentários