Imagem: Logo Volk do Brasil
Banner: Baixe grátis o Guia de Luvas de Segurança - Aprofunde seu conhecimento sobre o vasto mundo das luvas de segurança. Banner: Baixe grátis o Guia de Luvas de Segurança - Aprofunde seu conhecimento sobre o vasto mundo das luvas de segurança.
Publicado em 20/12/2018

Tire as suas principais dúvidas sobre a análise preliminar de risco


Não são raras as notícias sobre acidentes de trabalho ocorridos no Brasil. Infelizmente, é uma realidade diária em nosso país. Vitimando de forma fatal muitos colaboradores e causando sérios prejuízos à economia, os acidentes geralmente ocorrem devido à negligência de algumas medidas de segurança, principalmente no que diz respeito à Análise Preliminar de Risco (APR).

Se há presença de riscos, obrigatoriamente há a necessidade de se elaborar uma análise preliminar, seja na indústria alimentícia, seja na metalúrgica. Esse dever é atribuído para todas as atividades/localidades que podem ser potencialmente perigosas e que assim representem algum tipo de risco à saúde humana.

Mas, você já sabe o que é uma análise preliminar de risco, em qual contexto ela deve ser aplicada e a sua real importância? Continue a leitura e saiba mais!

Qual é a definição da Análise Preliminar de Risco?

Como o próprio nome sugere, a APR é um levantamento prévio realizado durante o estágio de desenvolvimento de um novo projeto, sistema ou campo de atuação. Seu principal objetivo é de mensurar todos os possíveis riscos que esse novo projeto pode representar à vida humana. Ou seja, uma boa APR é aquela que bem antes do início das operações já conhece o grau de risco do projeto.

De caráter investigativo e com base em uma criteriosa pesquisa qualitativa (que visa estudar a qualidade processual), a APR é uma medida de segurança que deve ser implementada com mais seriedade principalmente em processos novos e desconhecidos. Esse destaque é válido, uma vez que novas situações podem ser sinônimo de novos riscos e demandarem consequentemente novas abordagens.   

Outro ponto importante de ressaltar em relação ao seu conceito é sobre o seu caráter de ferramenta de revisão geral, sendo dessa forma largamente utilizada para conferir e corrigir eventuais erros que passaram despercebidos numa fase anterior de levantamento de riscos. Possibilitando assim que as mesmas falhas não sejam repetidas.   

Quais são os objetivos da APR?

A elaboração da Análise Preliminar de Risco tem como objetivos:

  • reconhecer os riscos;

  • instruir os colaboradores acerca de todos os riscos presentes em suas tarefas;

  • estruturar a execução da tarefa;

  • viabilizar métodos seguros;

  • garantir o trabalho de forma planejada e isenta de perigo;

  • prevenir acidentes de trabalho;

  • conscientizar os colaboradores a respeito dos riscos envolvidos na execução de tarefas.

Como funciona a emissão da APR?

A garantia da elaboração desta medida de segurança é de responsabilidade do supervisor da empresa, ou seja, cabe a esse profissional designar um engenheiro ou técnico em segurança do trabalho a emitir a devida APR.

Entretanto, vale destacar que é importante a participação de outros colaboradores durante a etapa de levantamento de riscos, para que assim o estudo fique mais completo.

Além disso, é importante frisar a necessidade de aproximação entre o setor de segurança do trabalho e o restante da empresa, já que quanto mais próxima for essa relação, mais as chances que se tem de desenvolver não só uma boa APR, mas sim todas as outras medidas de segurança.

Como funciona a metodologia?

Para alcançar resultados satisfatórios, a APR adota uma metodologia de planejamento seguindo algumas etapas, são elas:

Descrever e caracterizar todos os riscos

Etapa que visa identificar os agentes causadores de risco e seus efeitos, para que dessa maneira a busca por medidas preventivas de segurança, bem como ações corretivas fiquem mais evidentes.

Estudar medidas de controle e prevenção

Essa fase é responsável basicamente pelos seguintes parâmetros:

  • embasar a APR do novo processo segundo a revisão de problemas já conhecidos;

  • definir os principais riscos, com o intuito de avaliar o seu potencial dano à saúde humana;

  • definir os riscos iniciais para cada risco encontrado, para assim viabilizar  diferentes abordagens mediante a origem do risco;

  • revisar os meios de controle de risco, com a finalidade de garantir que as melhores ferramentas estejam sendo usadas para a administração do risco;

  • analisar métodos de restrição de danos, por meio da pesquisa de procedimentos que limitem os impactos causados por uma eventual perda de controle sobre os riscos;

  • indicar o responsável pela realização das medidas corretivas e preventivas.

Análise de falha humana

Grande parte dos acidentes de trabalho ocorrem mediante falha humana, seja ela uma falha pontual ou até mesmo uma sucessão de erros. Nesta etapa, a APR prioriza a realização do estudo das possíveis falhas que um colaborador pode estar sujeito durante a realização de cada tarefa.  

Sendo assim, após esta análise prévia, o resultado é exposto aos trabalhadores e há a discussão de medidas preventivas para evitar erros, e possíveis medidas corretivas no caso de ocorrência de falhas humanas.

Quais são as vantagens e desvantagens?

Como vimos, são inúmeras as vantagens de elaborar uma APR. Entretanto, a principal delas é acerca da possibilidade de se antecipar aos riscos. É importante que o colaborador já esteja ciente dos riscos que correrá, bem como a melhor medida a ser tomada por ele em caso de incidência de erros.

Como a APR é destinada basicamente para novos projetos/processos, e geralmente novos empreendimentos estão em constante atualização, a APR não necessariamente conseguirá cercar todos os pontos sobre a segurança daquele processo. Isto é, ela poderá ficar obsoleta ou necessitar de reestruturação devido às alterações realizadas no projeto.   

Neste caso, é prudente a adequação da APR de acordo com todas as modificações do projeto inicial, quer dizer, mantê-la atualizada.

Porque fazer a APR?

Pelo fato da grande maioria dos acidentes de trabalho ocorrerem devido à falha humana, a APR se faz necessária porque tem a capacidade de identificar possíveis erros e criar ferramentas para contorná-los. Sendo assim, a sua elaboração de maneira satisfatória pode impactar diretamente na redução do número de acidentes de trabalho.

Portanto, percebemos o quão relevante é garantir a implementação de uma boa Análise Preliminar de Risco como medida preventiva de segurança. Entretanto, cabe ressaltar também que dúvidas durante esta implementação podem surgir. Neste caso, é aconselhável a busca por uma equipe profissional para melhores orientações.

Achou interessante o conteúdo? Então leia também, em mais um de nossos posts, oito razões para um treinamento de segurança do trabalho!


Últimos posts




Comentários