Qual é a importância de um programa de proteção respiratória? Veja!

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Um programa de proteção respiratória (ou PPR) é um dos tópicos da Segurança do Trabalho e consiste em uma série de esforços empregados pelas empresas para amenizar o risco respiratório causado pela interação com poeiras, fumos metálicos, partículas em suspensão e — agora, com a pandemia — com o novo coronavírus, que pode vir a contaminar os seus colaboradores no ambiente de trabalho e causar danos à saúde. 

Esse tipo de medida visa a encontrar maneiras de proteger os profissionais e de tornar o trabalho deles menos arriscado, seguindo um conjunto de procedimentos e políticas de segurança ambientais. Neste post, você vai descobrir tudo sobre o programa de proteção respiratória e entenderá como montar o seu. Pronto para aprender? Então, continue a leitura!

O que realmente é o programa de proteção respiratória?

Como mencionamos na introdução, o programa de proteção respiratória — ou PPR — é um tipo de ação de prevenção de riscos ambientais (PPRA) voltado para a proteção respiratória. Ele objetiva a eliminação ou a minimização de riscos físicos, biológicos e químicos que podem prejudicar a respiração do quadro de pessoal no ambiente de trabalho e, por isso, é especialmente importante neste momento em que vivemos uma pandemia que se transmite pelo ar. 

No entanto, a medida tem relevância significativa mesmo em cenários não pandêmicos. De fato, manter essas políticas na sua empresa é tão fundamental que, até nas organizações em que não existem riscos respiratórios para os colaboradores, é indicado haver um PPR.

Placas e alertas sinalizando que é proibido fumar em ambientes fechados, por exemplo, são parte do programa de proteção respiratória — além, é claro, de cumprirem legislações locais que podem impedir esse tipo de prática em determinados espaços. Neste material, falaremos de outros esforços que fazem parte do PPR, mas, antes, que tal entender por que esse tipo de ação é essencial, mesmo para as corporações que não oferecem risco respiratório para os seus profissionais?

Por que o programa de proteção respiratória é importante?

É a Portaria Normativa N.º 1 de 1994, do Ministério do Trabalho, que determina a importância do programa e a necessidade de adotar equipamentos de proteção respiratória nas empresas. Ela dispõe que as organizações são as responsáveis por traçar um plano para restringir os riscos existentes e também, por oferecer materiais (EPIs) e instruções de uso para que eles sejam empregados corretamente. Essa Portaria, portanto, implica a necessidade de um PPR que indique:

  • a disponibilização e o uso adequado de EPIs ofertados pelas empresas;
  • o monitoramento das práticas executadas no ambiente de trabalho para verificar o possível uso incorreto de EPIs e/ou situações irregulares;
  • as características técnicas do serviço, como riscos físicos, químicos e biológicos que existem naquele ambiente de trabalho;
  • a disponibilização de treinamento para as equipes, que indiquem como devem ser manuseados, utilizados, conservados e higienizados os Equipamentos de Proteção Individual.

Fica claro, portanto, que o programa de proteção respiratória é tão importante para a saúde dos colaboradores que foi colocado na “letra da lei”. O seu papel é garantir a segurança e a saúde dos profissionais na execução das funções do dia a dia, reduzindo riscos que não são necessariamente facilmente identificáveis — afinal, boa parte dos perigos respiratórios é invisível a olho nu.

Essa medida, então, representa mais um dos esforços importantes feitos pelas companhias para garantir a Segurança do Trabalho. Entretanto, como elaborar esse programa e assegurar que ele será cumprido de maneira adequada? É isso que veremos nos próximos tópicos.

Como fazer, de fato, a proteção respiratória dos seus colaboradores?

Pronto para entender o que é preciso para garantir a proteção respiratória dos profissionais da empresa? Confira o passo a passo abaixo e veja como montar o seu PPR.

Passo 1: avalie os riscos respiratórios aos quais os seus colaboradores estão sujeitos

O primeiro passo na hora de montar um programa de proteção respiratória eficiente é avaliar os riscos aos quais os profissionais estão submetidos em cada uma das etapas do trabalho. Para isso, é importante contar com a ajuda de um Técnico de Segurança do Trabalho. Ele disporá dos materiais e dos equipamentos necessários para fazer essa análise. Lembre-se de que riscos respiratórios nem sempre são visíveis a olho nu, portanto, é importante quantificá-los antes de traçar um plano de segurança para o quadro de pessoal.

Passo 2: identifique os EPIs mais indicados para a proteção

Em seguida, identifique quais são os Equipamentos de Proteção Individual mais indicados para garantir a segurança dos seus colaboradores quando o assunto envolve contaminações por via respiratória. Máscaras e respiradores, por exemplo, com certeza farão parte dessa lista, já que apenas eles podem filtrar o ar no ambiente e garantir mais proteção ao ato de respirar. Avalie quais são os modelos corretos para cada função e adquira esses EPIs para o uso pelo quadro de pessoal.

Passo 3: faça o treinamento de EPIs

Não basta comprar os EPIs para os seus colaboradores; é preciso ensiná-los a utilizar os equipamentos — especialmente se estamos falando de algo novo, recém-inserido no cotidiano, com o qual eles não estão familiarizados. Ensine-os como colocar, retirar, armazenar e higienizar os equipamentos, caso eles não sejam descartáveis, e faça novos treinamentos de EPIs sempre que possível para garantir um aprendizado constante entre aqueles que compõem a sua equipe.

Como visto, investir em um programa de proteção respiratória é fundamental para garantir a segurança dos profissionais, manter a reputação da sua empresa no mercado e reduzir possíveis custos com multas e indenizações judiciais causados por problemas respiratórios de longo prazo. Por isso, se a sua corporação ainda não mediu os níveis de segurança respiratória do ambiente de trabalho e nem traçou um plano para combater os problemas advindos de fumaça, poeira ou outros elementos que podem levar a um cenário de insegurança, é hora de fazer isso e começar a fornecer os EPIs capazes de reduzi-los.

Gostou de entender como montar o seu próprio programa de proteção respiratória (PPR)? Então, fale agora mesmo com os especialistas da Volk do Brasil e descubra como podemos ajudá-lo a obter melhores resultados escolhendo os EPIs corretos!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts