O que é um EPI conjugado e qual a diferença para o EPI tradicional?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O uso do equipamento de proteção individual, ou EPI, é uma das estratégias utilizadas na Segurança do Trabalho para reduzir o impacto de acidentes. Dentre as várias modalidades que encontramos no mercado, o EPI conjugado é uma das que mais causam dúvidas nos clientes. Afinal, como ele funciona e quais benefícios oferece em relação a outros EPI’s?

Neste artigo, descubra a resposta para todas essas dúvidas e conheça os principais EPI’s conjugados do mercado.

O que é um EPI conjugado?

Esse é um equipamento especial. Enquanto um EPI comum é um item que deve ser usado sozinho para oferecer a proteção adequada, os EPI’s conjugados devem ser utilizados em combinação com outros para oferecer total proteção. São exemplos de equipamentos de proteção individual conjugados aqueles com múltiplas peças, como os itens para proteção auditiva, facial e proteção da cabeça, proteção contra quedas e outros.

Um capacete com protetor auricular de concha embutido, por exemplo, é um protetor conjugado. Um capacete que não protege também os canais auriculares do colaborador é um EPI comum. Assim como acontece com outros equipamentos de proteção individual, existem algumas regras para que o uso do EPI conjugado funcione e traga mais segurança para o usuário.

EPI’s conjugados devem ser armazenados corretamente, de acordo com as instruções do fabricante, e limpos frequentemente seguindo o manual. Os colaboradores não devem compartilhar equipamentos de proteção individual conjugados. Ainda que compostos de mais de uma peça, esses EPI’s continuam de uso individual e não coletivo.

Avarias no equipamento devem ser reportadas e a peça que apresenta defeito deve ser substituída quanto antes. Da mesma maneira, ferramentas e outros itens não devem ser guardados junto com o EPI conjugado, para que ele não sofra danos irreparáveis.

Quais são os exemplos de EPI conjugado?

Veja alguns tipos desse equipamento de proteção individual que podem ser ofertados na sua revenda. Confira!

Macacões para saneamento

Os macacões para saneamento com botas e luvas acopladas são considerados EPI’s conjugados. Feitos em múltiplos materiais, de acordo com a demanda de segurança do ambiente de trabalho, esses macacões são compostos de outras peças e podem acompanhar luvas e também, botas.

Os macacões oferecem proteção para a cabeça, o tronco e os membros. Eles são muito utilizados em áreas nas quais o contato com produtos dispersos no ar, substâncias químicas e biológicas oferecem risco para os colaboradores.

Capacete acoplado com protetor concha

Os capacetes acoplados com protetor concha, como mencionamos, é outro tipo de EPI conjugado. Esse tipo de capacete pode ser mais prático e confortável para o usuário do que combinar os dois itens — capacete e protetor — e, portanto, é mais adaptável à rotina de trabalho dos colaboradores.

Além disso, ele tem melhor custo-benefício que a compra dos dois itens em separado. Dentre as áreas que mais utilizam esse tipo de equipamento de proteção individual está a construção civil.

Cinto de segurança para trabalho em altura

Os equipamentos de trabalho em altura, como os cintos de segurança são comumente combinados com outros, como talabartes e as cadeiras suspensas. Eles são compostos por cinturão de segurança com quatro pontos de ancoragem, talabarte em Y, trava dupla para absorção de energia, fitas elásticas para adaptação de tamanho e acolchoamento para trabalho de longa duração, por exemplo.

Além disso, modelos diferentes oferecem opções distintas de fivelas e talabartes para fazer a conexão entre as peças. Ajudam a manter seguro o funcionário que trabalha em áreas como a construção civil, a pintura de fachadas e a limpeza externa de edifícios.

Por que usar o EPI conjugado?

O uso de EPI é importante para manter a integridade do profissional durante a jornada de trabalho. Equipamentos como luvas de proteção, aventais, botas de segurança são uma barreira extra de proteção — combinadas com outras ações para assegurar a ergonomia e a segurança do ambiente de trabalho — e ajudam a evitar problemas de saúde de longo prazo e até a morte.

Utilizá-los corretamente, nas atividades recomendadas da jornada de trabalho e no tamanho certo auxilia na eficácia da proteção. Por isso, todas as empresas que submetem os colaboradores a risco adicional são obrigadas por lei a oferecer equipamento de proteção individual sem custo para os colaboradores.

Vale a pena comprar EPI conjugado?

A análise de viabilidade na compra de EPI conjugado para a sua revenda vai depender exclusivamente da demanda dos clientes. São eles que vão definir se há a necessidade de adicionar o EPI conjugado no seu portfólio ou não.

Uma coisa é certa: os clientes não devem ter dúvida quanto a qualidade do EPI conjugado na hora de tomar a decisão. Mesmo combinado com outros equipamentos de proteção individual, os itens que citamos neste artigo e os outros EPI’s conjugados que ficaram de fora não apresentam nenhum risco maior que o do EPI tradicional.

Por isso, pode incluir no catálogo da sua revenda. Com a pandemia do coronavírus e o aumento da demanda generalizada por equipamentos para retornar às atividades, o EPI conjugado pode ser uma mão na roda e chamar a atenção entre os produtos oferecidos pela sua revenda.

E aí, conseguiu tirar todas as suas dúvidas? Ainda quer saber mais sobre esse produto? Não se esqueça de deixar um comentário!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts