Confira 8 EPIs para eletricistas indispensáveis para evitar acidentes

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Que tal ouvir este artigo? Experimente no player abaixo.


O trabalho com eletricidade é um dos mais perigosos no mundo e, para reduzir a chance de que acidentes aconteçam, as empresas devem investir em EPIs para eletricistas capazes de contornar os principais problemas do setor. Correntes elétricas podem causar desde queimaduras até a morte instantânea e a invalidez, portanto, precisam ser tratadas com muita seriedade pelos negócios.

A maioria dos EPIs para eletricistas foi desenvolvida para isolar as correntes elétricas e garantir que a interação com geradores, postes e outras instalações seja feita de maneira segura. Conheça os principais equipamentos usados para isso!

Qual a importância do EPI para eletricista?

Não há dúvidas da necessidade do uso de equipamentos de proteção individual por eletricistas. Afinal, o contato frequente com as altas correntes elétricas pode provocar diversos riscos. Veja, a seguir, os principais!

Queda de altura

A altura é um aspecto que faz parte das atividades realizadas por um eletricista, já que em algumas situações será necessário subir escadas, edificações e portas para fazer manutenção ou reparos em fios elétricos. Isso gera riscos de quedas, que podem causar ferimentos graves ou, até mesmo, ser fatais.

Choque elétrico

Esse é um dos maiores riscos existentes no dia a dia para a profissão, que pode ocorrer quando alguma região do corpo entra em contato com a corrente elétrica, e o trabalhador não está usando os itens adequados. Mesmo que existam graus diferentes de choques elétricos, que podem ser dos mais brandos aos letais, o acidente pode gerar várias reações no corpo do empregado, por exemplo, queimaduras ou desmaios.

Eletrocussão

A eletrocussão é um estágio mais grave do acidente elétrico, tendo em vista se tratar do falecimento provocado pela exposição a uma carga letal. Ocorre quando uma corrente elétrica passa pelo corpo do indivíduo e atinge os órgãos vitais, como coração e cérebro, entre outros, levando o profissional ao óbito.

Contato com umidade, chuva e inalação de poeiras

O profissional eletricista também se mantém exposto ao contato direto com fatores climáticos, como chuva, umidade, além de poeiras. Nesse caso, uma exposição frequente a esses aspectos pode gerar graves danos à saúde e ao bem-estar do trabalhador.

Considerando todos os riscos demonstrados, a lei brasileira buscou resguardar os profissionais ao passar a exigir a utilização de equipamentos de proteção individual ao longo do desenvolvimento de tarefas envolvendo eletricidade.

Nos dias atuais, há duas Normas Regulamentadoras com foco na proteção dos trabalhadores do setor. A NR 10 versa a respeito das condições de trabalho em instalações elétricas. Já a NR 6 retrata o uso de equipamentos de proteção individual por parte dos profissionais.

Quais são os EPIs para eletricistas indispensáveis?

Existem alguns itens que são essenciais para que o eletricista possa desempenhar suas funções com segurança. Entenda, a seguir, quais são os principais!

1. Capacete de segurança

O capacete de segurança é o EPI mais frequentemente associado ao trabalho dos eletricistas, portanto, não poderia deixar de estar na nossa lista. Há muitos modelos de capacetes de proteção por aí, então, é preciso ficar atento.

Para o trabalho com redes elétricas, é necessário que esse equipamento de proteção individual seja da classe B, que garante a proteção contra correntes elétricas. Esses capacetes, geralmente, são feitos em polietileno de alta densidade e têm uma camada interna de tecido (o feltro), que impede que correntes elétricas passem pelo corpo do colaborador que os utiliza.

Esse EPI pode variar bastante, incluindo ou não espaço para a fixação de tiras refletivas e ter vários tipos de fixação diferentes. Elas podem ser feitas com tiras de tecido ou polietileno e ter ou não catracas ou ajuste facial.

O ideal, na hora de escolher esse equipamento, é verificar junto a sua equipe que tipo de capacete acha mais confortável e prático para o dia a dia. Não se esqueça, porém, de que capacetes são EPIs que devem ter selo de marcação do Inmetro. Sempre verifique isso antes de comprar.

2. Óculos de proteção

Esses equipamentos precisam ser fabricados com materiais resistentes a arcos elétricos e chamas, protegendo a região dos olhos. É um item fundamental, sendo de responsabilidade do profissional a conferência diária e periódica da sua conservação.

3. Luvas de segurança

Os eletricistas também precisam ficar atentos às luvas no dia a dia porque, nessa profissão, o uso delas é diferenciado. É muito comum, por exemplo, a utilização de duas luvas (uma isolante, feita em borracha, e outra em couro, para proteger a integridade da luva isolante) na manutenção e instalação de pontos de eletricidade.

Existem vários modelos que podem servir a esse propósito, mas o ideal é buscar por luvas de alta tensão que especificam o número de kV de proteção que oferecem. Assim, você pode garantir que o seu colaborador nunca lidará com uma tensão maior do que o equipamento que utiliza consegue suportar e estará menos sujeito a acidentes de trabalho.

Todas as luvas de segurança para eletricistas têm Certificado de Autenticação. Não compre sem ter acesso a esse documento, que contém as especificações de uso e a aprovação do equipamento, segundo as normas ASTM D120/NBR 10622, que regulamentam a fiscalização das luvas isolantes de borracha feitas pelo Inmetro.

Além das luvas, é comum complementar a segurança do colaborador com mangas isolantes de borracha. Elas servem para proteger os braços do colaborador, de maneira similar às luvas, em situações em que ele corre algum tipo de risco adicional.

4. Calçados de segurança

O trabalho de um eletricista envolve muitos ricos, portanto, exige mais equipamentos de proteção individual do que a maioria das outras profissões. Isolar completamente o profissional para que choques elétricos não passem pelo seu corpo é o principal objetivo da Segurança do Trabalho e, por isso, equipamentos como botas especiais são necessários.

Ao contrário de outras profissões, em que botas com ponteiras de metal significam mais segurança, no setor elétrico, esse material não deve estar presente. Afinal, o metal é um excelente condutor e, no caso de choque, ele causaria acidentes ainda mais danosos.

Os calçados de segurança para eletricistas, geralmente, vão até a altura do tornozelo, protegem contra objetos perfurantes e cortantes, além de temperaturas elevadas, produtos químicos e abrasivos, e não têm nenhuma peça de metal em sua composição. As biqueiras de proteção, portanto, devem ser feitas em plástico ou outro material não condutor.

Para garantir que as botas de segurança dos seus colaboradores estejam em conformidade, converse com o seu fornecedor de EPI, especifique o uso que fará delas e não se esqueça de conferir o Certificado de Aprovação do item.

5. Cintos de segurança

Boa parte do trabalho dos eletricistas é feito em postes ou em outro tipo de altura, por isso, os cintos de segurança são equipamentos de proteção individual fundamentais. Esse EPI para eletricistas protege o trabalhador no caso de quedas e oferece estabilidade para que realize suas tarefas em altura sem precisar se apoiar com as mãos.

O tipo mais comum de cinto de segurança para eletricistas é o feito com talabarte. Trata-se de um dispositivo que conecta o cinto tipo paraquedista com um ponto de ancoragem para garantir a estabilidade dele.

Os cintos com talabarte ainda aumentam a mobilidade do usuário, que pode se locomover entre pontos de ancoragem com facilidade, sem correr o risco de cair. Em casos de queda acidental, o talabarte induz a desaceleração do corpo, reduzindo a gravidade do impacto.

Para continuar funcionando, os cintos de segurança precisam ser sempre armazenados em local limpo e seco, longe do contato com o sol e com materiais corrosivos. A interação com esses itens e com objetos cortantes pode colocar a vida do utilizador em risco. Portanto, antes de utilizá-los, é necessário fazer a inspeção do equipamento, como é comum com outros tipos de EPI.

6. Manga isolante de borracha

Esse EPI tem como função proteger os braços do eletricista, gerando mais segurança em uma das regiões em que ocorre maiores perigos de contato com correntes elétricas.

7. Capa protetora

Esse tipo de dispositivo precisa ser elaborado com revestimento de borracha, tendo a função de isolante, o que faz com que consiga criar uma barreira com a eletricidade.

8. Vestimentas especiais para os profissionais

Estamos falando das roupas feitas especificamente para os eletricistas. São diferentes pelo fato de não apresentar nenhum material condutor de eletricidade. Entre os itens que constituem essas vestes próprias estão camisas, calças, uniforme e demais.

O trabalho com eletricidade é um dos mais perigosos e, por isso, inclui o adicional de periculosidade. Esse rendimento extra, porém, não tira das empresas a responsabilidade de oferecer EPI para eletricista, capaz de impedir que os funcionários sejam colocados em risco em atividades do dia a dia.

Fique atento para os equipamentos de proteção que mencionamos aqui e consulte um técnico de Segurança do Trabalho. Esse profissional especializado conseguirá determinar todos os riscos a que seus profissionais estão submetidos e apontar outros tipos de EPIs que complementarão a segurança dos profissionais, se necessário.

Gostou de conhecer esses EPIs para eletricistas? Então, acesse nossa página agora mesmo e conheça nossos produtos!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts