Saúde no trabalho: 6 dicas para melhorar o bem-estar dos colaboradores

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Que tal ouvir esse artigo? Experimente no player abaixo:

 

Investir em saúde no trabalho é uma medida fundamental para que as empresas tenham sucesso. O bem-estar dos colaboradores refletirá na motivação e no compromisso com as suas funções, melhorando a produtividade e o clima organizacional.

Assim, os empregados são beneficiados com um ambiente mais agradável e condições e adequadas, enquanto a empresa também garante vantagens como melhoria em sua imagem institucional, cumprimento da legislação e melhores resultados.

Por isso mesmo, vale a pena conhecer as melhores práticas para proporcionar bem-estar dos colaboradores e saúde no ambiente profissional. Quer saber como fazer isso? Continue a leitura deste post!

1. Incentive a prática de esportes

A prática de exercícios físicos traz diversos benefícios para a saúde e pode ser estimulada pela empresa através do incentivo da prática de esportes. Para isso, vale a pena desenvolver estratégias de conscientização, como o envio de artigos sobre o assunto e campanhas sobre benefícios que isso proporciona.

A organização pode buscar parcerias com academias e clubes para garantir descontos aos colaboradores que quiserem aproveitar as instalações para as atividades físicas ou a prática de esportes.

Dependendo da adesão dos trabalhadores, no futuro algumas atividades esportivas podem ser incorporadas aos momentos de confraternização. Criar pequenos campeonatos e jogos são oportunidades incríveis para a interação dos funcionários e a melhora do clima organizacional, enquanto também promove a saúde no trabalho.

2. Estimule pausas durante o trabalho

Apesar de as pausas serem combinadas observando os intervalos previstos na lei — pelo menos 15 minutos em jornadas de 4 a 6 horas e uma hora para as superiores a 6 horas, vale a pena incentivar pequenas paradas durante o resto do período.

Cerca de 5 ou 10 minutos de pausa a cada 50 minutos de atividade são suficientes e importantes para que o trabalhador consiga fazer um alongamento, esticar as pernas, comer um lanche ou ir ao banheiro. Isto também aliviará a pressão que a rotina profissional ocasiona, permitindo alguns minutos para relaxar a mente e se desligar um pouco das tarefas exercidas, beneficiando a saúde mental.

Além disso, mantenha um bom controle de ponto e fique de olho nas horas extras para não exigir jornadas exaustivas. A legislação tem o limite de 2 horas extras diárias e que o trabalhador deve descansar pelo menos 11 horas entre cada jornada.

3. Ofereça alongamentos e ginástica laboral

Durante as pausas concedidas, incentive os empregados a fazerem alongamentos e ginástica laboral para aliviar as tensões musculares e estimular a circulação, prevenindo o desenvolvimento de lesões.

Como, muitas vezes, as pessoas não têm conhecimento sobre a importância dessa prática ou quais exercícios podem ser adotados, a empresa pode contratar um profissional para ensinar e animar os empregados.

A concessão de treinamentos ou o uso vídeos com explicações podem ser usados para que eles aprendam como fazer a ginástica laboral e quais são os alongamentos necessários para evitar lesões.

4. Crie um ambiente de trabalho adequado

O ambiente em que as pessoas passam grande parte do seu dia tem impacto direto em sua saúde e bem-estar. Portanto, invista em móveis e aparelhos que sejam ergonômicos, e que também auxiliem a adoção de uma postura adequada durante a execução de suas tarefas.

A climatização e a iluminação igualmente exigem muita atenção e conhecimentos específicos, pois afetam diretamente o conforto e o desempenho dos trabalhadores, podendo causar lesões e problemas crônicos de saúde.

Contudo, quando o assunto é a saúde no ambiente laboral, o foco não deve ser apenas a parte física. O gestor deve dar atenção ao lado emocional dos seus colaboradores, implementando ações que privilegiem o desenvolvimento de bons relacionamentos interpessoais. Veja algumas práticas que são prejudiciais e precisam ser combatidas:

  • jornadas exaustivas;
  • imposição de metas impossíveis;
  • exigência de tarefas além das contratadas;
  • assédio moral;
  • falta de reconhecimento.

Aqui, vale destacar a importância de conscientizar supervisores e gerentes sobre as melhores maneiras de lidar com os trabalhadores, para que eles entendam quais atitudes são prejudiciais e abusivas.

5. Conceda benefícios aos trabalhadores

Outra dica importante é conceder benefícios aos empregados que facilitem a adoção de práticas saudáveis, afinal, muitas delas geram custos e acabam sendo ignoradas devido às limitações do orçamento. Alguns exemplos bastante utilizados pelas empresas são:

  • plano de saúde;
  • vale-alimentação ou vale-refeição;
  • descontos com parceiras da empresa.

Apesar de muitos empregadores considerarem essas práticas como despesas, na verdade isso é um investimento. Os trabalhadores sentirão que são valorizados pela empresa e se sentirão estimulados a adotarem uma rotina saudável.

Dessa forma, além de promover a saúde no trabalho, essa estratégia ajuda na retenção de talentos e no engajamento dos colaboradores, fatores que, com certeza, trarão um ótimo retorno para o negócio.

6. Adquira equipamentos de proteção individual (EPI)

O empregador tem a obrigação de identificar os riscos existentes no ambiente de trabalho e adotar as medidas necessárias para reduzir ou neutralizar a exposição do trabalhador aos agentes nocivos. Para isso, uma das medidas fundamentais é a aquisição dos EPIs.

Eles são desenvolvidos para proteger o corpo contra a ação de diversos agentes, então é possível encontrar luvas, calçados, capacetes, óculos de proteção e outros itens focados na segurança do trabalhador.

Cabe à empresa adquirir os EPIs, disponibilizá-los aos trabalhadores gratuitamente e efetuar as substituições quando necessário. Também é preciso oferecer treinamentos para que eles saibam como utilizar os equipamentos da forma correta e conheçam as melhores práticas de higiene e armazenamento.

Finalmente, é preciso fiscalizar o uso correto dos equipamentos e, caso o trabalhador não cumpra as normas de segurança, aplicar as penalidades previstas, conforme a gravidade do ato. Lembre-se de que a utilização dos itens é imprescindível para a redução dos riscos no ambiente de trabalho.

Agora que você já sabe como promover a saúde no trabalho, planeje-se para implementar essas estratégias na empresa. A falta de cuidados aumenta o risco de afastamento dos colaboradores por doenças e acidentes de trabalho, trazendo diversos prejuízos para o negócio.

Este post foi útil para você? Então não se esqueça de compartilhá-lo nas redes sociais para que os seus amigos também tenham acesso a essas informações!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts