Quais são os níveis de ruído de acordo com a NBR 10152?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Que tal ouvir esse artigo? Experimente no player abaixo.

Seja em ambientes industriais ou em um restaurante, os níveis de ruído não devem ser negligenciados. Afinal, o nosso sistema auditivo não consegue suportar sons em alta intensidade, sendo agravado o problema quando esse tipo de exposição passa a ser frequente.

Por ser uma questão de saúde relevante e por estar presente em várias situações cotidianas, estabelecer parâmetros técnicos para avaliar a intensidade sonora adequada para cada ambiente passa então ser fundamental. Nesse contexto, podemos destacar a Norma Brasileira 10152 (NBR 10152) como uma importante medida reguladora

Confira o que determina a NBR 10152, qual a sua importância e outros pontos importantes acerca dos ruídos em locais diversos.        

O objetivo da NBR 10152

Regulamentada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a NBR 10152 tem como principal finalidade fixar os níveis de ruído compatíveis com o conforto acústico em diversos ambientes.

Em outras palavras, o que a NBR 10152 estabelece é a faixa limite de valores em decibéis ideais para cada tipo de localidade (bibliotecas, restaurantes, hospitais, apartamentos etc.). Entretanto, para compreender melhor a ordenação dessa norma regulamentadora, é preciso destacar também uma outra norma, a NBR 10151. 

A NBR 10151

A NBR 10151 (Acústica – Avaliação do ruído em áreas habitadas, visando ao conforto da comunidade – Procedimento) tem o objetivo de estabelecer as condições mínimas para a determinação da aceitabilidade do ruído. Ou seja, ela especifica sob que circunstâncias técnicas pode-se mensurar a intensidade sonora em um determinado ambiente.  

Desse modo, essa norma detalha um método para a medição correta de ruído, bem como a aplicação de ajustes nos níveis medidos caso o ruído apresente características especiais. 

Medição do ruído 

Segundo a norma, para a coleta adequada da intensidade sonora é preciso seguir os seguintes procedimentos técnicos:

Utilizar equipamento de medição adequado:

  • usar um decibelímetro (medidor de pressão sonora) que possua regulagem para a altura e com filtro de banda de oitava;
  • possuir a opção Data-Logger no decibelímetro, para a impressão das medições coletadas;
  • manter o decibelímetro devidamente calibrado e comprovado por meio de certificado de calibração válido — do INMETRO ou da Rede Brasileira de Calibração (RBC).

Utilizar processos de medição para ambientes externos

  • não efetuar medições na ocorrência de chuva;
  • manter uma distância mínima de 2 m entre o microfone e qualquer superfície que seja refletiva;
  • garantir que a altura do microfone permaneça entre 1,20 e 1,50 m acima do solo;
  • posicionar o microfone a uma distância de 0,5 m de uma janela aberta no caso de medição feita próximo de edificações. 

Processo de medição para ambientes internos

  • garantir que a altura do microfone permaneça entre 1,20 a 1,50 m acima do piso;
  • manter uma distância mínima das paredes de 1 m;
  • manter uma distância das janelas de 1,5 m;
  • realizar 3 medições no mínimo (espaçadas em 0,5 m uma da outra) e efetuar a média aritmética das mesmas, obtendo assim o resultado final para aquele local;
  • coletar medidas de acordo com as condições normais de utilização do ambiente (para evitar que ruídos atípicos alterem o resultado). 

Parâmetros estabelecidos pela NBR 10152 e sua importância 

A NBR 10152 define a faixa de valores em decibéis para o conforto acústico de cada localidade, de acordo com o cálculo dos parâmetros de pressão sonora ponderada (em pascal), nível da pressão sonora (em decibéis), nível de pressão sonora ponderado (em decibéis) e a curva de avaliação de ruído (NC).

Sendo assim, após fixar cada uma dessas grandezas e por meio de análise gráfica a partir da frequência em hertz do som emitido, a NBR 10152 indica os seguintes valores em decibéis:

  • de 35 a 45 dB para hospitais (áreas de apartamento, enfermaria, berçários e centro cirúrgico);
  • de 40 a 50 dB para escolas (salas de aula e laboratórios);
  • de 45 a 55 dB para hotéis (portaria, recepção e circulação);
  • de 40 a 50 dB para restaurantes;
  • de 40 a 50 dB para igrejas e templos;
  • de 45 a 60 dB para ginásios poliesportivos.   

Onde:

  • o valor inferior da faixa indica o nível sonoro para conforto acústico no local;
  • o valor superior da faixa representa a intensidade sonora aceitável para aquele ambiente;
  • o valor superior ao limite indicado é definido como desconforto acústico, entretanto, não necessariamente representa risco à saúde

Efeitos da elevada intensidade do som 

Como descrito no início deste artigo, o nosso sistema auditivo suporta determinadas condições sonoras. Exemplificando: ruídos acima de 80 decibéis já podem causar prejuízos na audição. Dessa maneira, cabe destacar que locais que emitem níveis elevados de ruídos somados a uma exposição contínua representam uma combinação que pode levar à surdez.    

Para se ter uma ideia, em ambientes como indústrias, escolas e ginásios de shows os ruídos podem facilmente alcançar a faixa dos 110 decibéis. Entretanto, há diferenças quanto aos danos causados em relação ao tempo de exposição. Por isso, passa a ser essencial a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) para quem está sujeito a longos períodos de exposição. 

Uso do EPI auditivo 

Muitas pessoas não utilizam o EPI porque dizem já estar acostumadas com a intensidade do som naquele local. Porém, ruídos elevados causam perda auditiva gradual nessas pessoas. Ou seja, mesmo não gerando grande desconforto, o som intenso traz danos irreversíveis ao sistema auditivo.  

Desse modo, a utilização de EPI é fundamental para a proteção contra ruídos, evitando tanto a perda auditiva temporária quanto a permanente. Dentre os equipamentos de proteção, destacam-se o protetor auricular (para ruídos mais leves e moderados), e o abafador de ruído industrial (para sons de elevada intensidade). 

É fácil perceber o quão relevante é a NBR 10152, por meio do detalhamento dos parâmetros aceitáveis de ruído, para garantir o conforto acústico de determinado ambiente.

Por último, cabe destacar a necessidade de promover medidas de segurança para os locais onde há elevados níveis de ruído, tanto no que diz respeito ao uso do EPI’s quanto a propor alternativas para a redução da intensidade sonora.    

Gostou do nosso conteúdo sobre a NBR 10152? Então, assine a nossa newsletter e tenha acesso a mais informações a respeito de equipamentos de proteção e segurança do trabalho em geral.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts