Qual o risco de acidentes de trabalho na indústria frigorífica e como evitá-los?

Qual O Risco De Acidentes De Trabalho Na Indústria Frigorífica E Como Evitá-Los?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Entender os riscos de acidentes de trabalho na indústria frigorífica é importante, já que se trata de um dos ambientes que podem ser mais prejudiciais à saúde e integridades dos trabalhadores, tenho em vista as funções desempenhadas referentes ao abate, corte e armazenagem dos produtos, uso de máquinas cortantes e pesadas, rotina corrida, exposição às baixas temperaturas e outros fatores que podem contribuir para o surgimento de doenças ou acidentes.

Por esse motivo, é importante implementar as medidas adequadas para minimizar os impactos desses riscos, seja por meio do fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs), respeito às normas regulamentadoras e demais.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para esclarecer as principais dúvidas. Acompanhe!

Quais são os riscos presentes na indústria frigorífica?

Existem alguns riscos que estão mais presentes no dia a dia de quem exerce suas atividades nos frigoríficos e, para implementar as melhores ações de prevenção e cuidado ao bem-estar e integridade física dos colaboradores, é preciso entender quais são:

  • cortes, devido ao uso de ferramentas cortantes, como serras e facas;
  • deficiências de segurança em máquinas, por exemplo, partes móveis sem proteção, que podem provocar mutilação, esmagamento e até mesmo levar à morte;
  • movimentos repetitivos em curtos espaços de tempo, gerando, em alguns casos, LER/DORT;
  • má postura, gerando problemas na coluna vertebral;
  • baixa temperatura do ar, podendo causar doença nas vias respiratórias e demais;
  • má qualidade do ar, o que aumenta o número de bactérias pelo fato da ocorrência de abate de animais;
  • problemas psicológicos que podem influenciar na rotina dos empregados, como a pressão exercida para o alcance de objetivos, metas e produtividade etc.

Como é possível reduzir os riscos de acidentes de trabalho na indústria frigorífica?

Como uma estratégia de minimizar os riscos de acidentes de trabalho na indústria frigorífica, está a adoção dos EPIs que, sem dúvida, é uma das medidas preventivas mais eficientes quando o assunto é combater os agentes nocivos e prejudiciais à saúde dos trabalhadores e impedir impactos negativos nos locais de trabalho.

Os equipamentos de proteção individual para quem atua em frigorífico precisam proporcionar segurança contra umidade, baixa temperatura, ruídos, lesões causadas por instrumentos cortantes, contaminação biológica e demais. Entre os principais estão:

  • protetor auricular;
  • óculos de segurança;
  • proteção para a cabeça e tronco: capuz de segurança contra problemas térmicos e vestimentas de proteção do tronco;
  • membros superiores: luva de segurança contra cortes e/ou agentes térmicos;
  • membros inferiores: calçado, calças de segurança para proteger os pés contra baixas temperaturas;
  • proteção do corpo todo: conjunto de segurança integrado por blusão e calças, com o objetivo de proteger todos os membros contra agentes térmicos.

É importante deixar claro que é responsabilidade da empresa disponibilizar os EPIs adequados para assegurar a proteção dos colaboradores que atuam na indústria frigorífica, bem como oferecer toda a orientação e informação necessária para que todos entendam como utilizar os itens de forma correta.

Já aos funcionários, cabe o respeito às normas regulamentadores de segurança e saúde, utilizar os equipamentos adequadamente e zelar pela conservação e guarda de todos os dispositivos de segurança.

De que maneira funciona a troca dos EPIs?

A principal finalidade de todo equipamento de proteção individual para frigorífico é garantir total segurança aos trabalhadores. No entanto, qualquer EPI utilizado de forma inadequada ou com alguma avaria vai comprometer a eficácia do item, gerando problemas que podem ser bastante prejudiciais ao indivíduo e empresa. Por esse motivo, podemos dizer que a manutenção da qualidade e utilização de um EPI para frigorífico é responsabilidade tanto do empregador quanto do empregado.

Conforme a Norma Regulamentadora 6, é de competência da empresa:

  • obter o equipamento apropriado ao risco de cada atividade exercida;
  • exigir que os funcionários os utilizem;
  • substituir de forma imediata o item danificado ou extraviado.

Já em relação ao colaborador, é seu dever:

  • ficar responsável pelo armazenamento e conservação do equipamento;
  • avisar ao empregador qualquer fato que torne o item impróprio para uso.

Não há um tempo delimitado na norma para que o EPI da indústria frigorífica seja trocado. Dessa forma, a partir do momento que empresa ou funcionários identificarem que o item já passou da data de vencimento ou que o equipamento está comprometido por algum dano, esse é o momento certo para que a troca seja feita.

Ou seja, os aspectos que levam à troca do equipamento de proteção individual são variados, como corte do tecido, quebra do protetor auricular, trincado na lente dos óculos de proteção e demais. Ficar sempre atento a essas ocorrências é fundamental para a garantia da saúde e proteção da equipe.

Como a limpeza dos EPIs deve ser realizada?

Cada dispositivo requer cuidados higiênicos próprios, que vai depender da sua utilização e estrutura. Por isso é importante sempre verificar a ficha técnica de cada EPI. Além disso, é importante realizar com frequência a inspeção antes e depois do uso e entender bem o manual para saber como a limpeza e guarda deve ser feita. Também, é preciso salientar que o uso de um EPI na indústria frigorífica é individual, com o objetivo de evitar a contaminação cruzada e demais.

O que é a Norma Regulamentadora 36 e qual a sua importância?

A Norma Regulamentadora 36 se trata do dispositivo que versa sobre o estabelecimento de um padrão de qualidade, que tem o intuito de avaliar, monitorar e acompanhar os riscos existentes na indústria frigorífica e na execução de tarefas relacionadas ao abate, corte, armazenagem e demais, no processamento de carnes e seus derivados.

Entre suas principais funções está proporcionar maior segurança, saúde, qualidade de vida e bem-estar aos funcionários da área, definindo requisitos mínimos para que desenvolvam suas atividades com segurança e proteção.

Conseguiu entender quais são os principais riscos de acidentes de trabalho na indústria frigorífica? Para evitá-los, é importante estar sempre atento às melhores práticas de segurança, como o cumprimento das normas regulamentadoras, disponibilização de EPIs e fiscalização efetiva nos postos de trabalho.

Quer saber como podemos ajudar na prevenção de riscos em frigoríficos? Então, entre em contato com a gente e conheça nossas soluções!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts