Aprenda como identificar riscos biológicos no ambiente de trabalho!

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Vários são os riscos aos quais os trabalhadores estão expostos em seus locais de trabalho todos os dias. Por esse motivo, é fundamental conhecê-los para que empresa e funcionários possam adotar as práticas mais adequadas a fim de evitá-los. Os riscos biológicos são um bom exemplo e caracterizam a presença de microrganismos que geram ameaças à saúde, integridade física e bem-estar da equipe.

Entre eles estão os vírus, bactérias, fungos, protozoários e parasitas, que em contato direto com o indivíduo podem levar à ocorrência de doenças em todos os seus níveis, impedindo uma gestão de segurança do trabalho eficiente.

Quer entender um pouco melhor sobre o assunto? Então continue a sua leitura!

Quais são os níveis de classificação de risco de agentes biológicos?

Os riscos de agentes biológicos são classificados conforme a exposição causada ao trabalhador, se dividindo entre 1, 2, 3, e 4.

Classe de Risco 1

É representada por agentes que oferecem um nível de risco baixo para os funcionários e suas atividades, tanto em grupo quando individual. Além disso, tem poucas chances de propagação, não havendo nenhum tipo de comprovação sobre a transmissão de doenças para animais saudáveis ou pessoas.

Classe de Risco 2

Trata-se de um risco mais moderado para o colaborador e fraco para as tarefas exercidas no coletivo, ou seja, existe uma possibilidade de propagação. Nesse caso, pode levar a doenças em animais e pessoas, contudo, existem tratamentos e ações preventivas.

Classe de Risco 3

Nessa Classe de Risco, os microrganismos geram um risco maior, caracterizado como elevado para a saúde do empregado de forma individual e moderado para os trabalhos em grupo. Tanto pessoas quanto animais saudáveis podem desenvolver enfermidades graves, e nem sempre haverá alguma medida de tratamento eficiente. As chances de propagação são moderadas.

Classe de Risco 4

No nível 4 os agentes biológicos são bastante perigosos, gerando um risco mais elevado para o trabalhador individual e para os grupos. Além disso, é possível desenvolver enfermidades muito complexas tanto em pessoas quanto em animais. Não existem tratamentos nesses casos.

Quais medidas implementar para prevenir os riscos biológicos?

Existem diversas práticas que devem ser implementadas como forma de precaução em relação aos riscos biológicos. Conheça algumas delas a seguir:

  • desenvolver ações de higienização frequente;
  • fornecer, estimular e monitorar o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que serão adaptados conforme a classificação de risco do setor, como luvas, avental de segurança, óculos e máscara de proteção;
  • disponibilizar treinamentos específicos e diferenciados para cada área, com a finalidade de conscientizar toda a equipe em relação ao cumprimento de todas medidas impostas;
  • se manter atualizado em relação às normas e legislações de biossegurança;
  • estar ciente de todos os riscos presentes na manipulação e contato dos trabalhadores com os agentes biológicos;
  • manter os ambientes equipados com todos os itens fundamentais para lavagem das mãos e outros hábitos de higienização necessários após a manipulação de risco.

Agora que você conhece os riscos biológicos presentes no ambiente laboral e como eles podem afetar a saúde dos trabalhadores, é essencial focar na prevenção por meio da adoção de boas práticas que podem ser bastante eficazes na busca por uma segurança do trabalho efetiva, capaz de garantir que a equipe de colaboradores esteja sempre saudável, motivada e produtiva.

Gostou deste artigo? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro das nossas publicações sobre vários assuntos interessantes!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts