Como lidar com cenários de emergência na empresa? Descubra

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Que tal ouvir esse artigo? Experimente no player abaixo. A maneira como a empresa se mantém preparada para cenários de emergência pode fazer toda a diferença nos resultados. Isso porque podem acontecer situações em que as operações saem de forma diversa da planejada, ocasionando em um funcionamento inesperado. Se isso não for administrado com eficiência, vai gerar sérias consequências. Sendo assim, é importante entender os riscos, prever o que pode dar errado, e implementar boas práticas para solucionar esses problemas da melhor forma. Para ajudar nesse processo, elaboramos este conteúdo com informações relevantes sobre o assunto. Confira!

Quais são os principais cenários de emergência que podem surgir na empresa?

Para compreender qual tipo de emergência pode acontecer no ambiente laboral, é importante observar o local e as atividades desenvolvidas. Entre os mais comuns, podemos apontar:
  • emergências laborais: ocorrem devido ao trabalho, por exemplo, perfurações, desmaios, incêndios, cortes, amputações, entre outras;
  • emergências ambientais: afetam a empresa e o ecossistema. Não têm ligação direta com o trabalho, mas com o meio ambiente onde a empresa está localizada, como deslizamento de terra, inundações, incêndios de grande proporção, desabamentos etc.

O que a NR 01 diz sobre os cenários de emergência?

A NR 01 aponta que os cenários de resposta a emergências devem prever:
  • meios e recursos apropriados para a realização dos primeiros-socorros e encaminhamentos dos acidentados;
  • práticas necessárias para as situações de emergência de grande magnitude, quando aplicável.
Vamos supor que um colaborador da construção civil esteja realizando seus serviços em uma estrutura de seis metros de altura, correndo o risco de sofrer uma queda. Dentro desse contexto, vamos pensar em duas situações:
  • o trabalhador escorregar e ficar suspenso pelo talabarte em Y: serão precisos equipamentos e funcionários treinados para retirá-lo da condição de suspensão;
  • o profissional sofrer uma queda e adquirir lesões: suporte básico à vida e equipe capacitada para imobilizar e retirar a vítima com todos os cuidados adequados.
As medidas de emergência vão depender das atividades realizadas e da estrutura da empresa. Por esse motivo, é importante estudar e fazer um mapeamento de todos os cenários e eventuais emergências da organização, e estabelecer os recursos humanos e materiais indispensáveis.

Como as empresas devem lidar com os cenários de emergência?

Existem algumas práticas que podem ser aplicadas para que a empresa esteja preparada para cenários de emergência. A seguir, vamos apresentar algumas delas!

Compreenda o contexto do trabalho

Antes de tudo, é importante visualizar de forma ampla e considerar as condições e interações das operações. Dessa forma, é possível identificar o que pode gerar as situações de emergência.

Leve em conta as surpresas

Averigue como os imprevistos se propagam para as operações. Procure interações que não foram esperadas ou planejadas durante a elaboração do plano de execução das atividades do negócio. Afinal, nem sempre é possível identificar as dificuldades que podem surgir no dia a dia, por isso, é necessário estar sempre alerta.

Envolva os líderes

É essencial desenvolver nos líderes a competência de identificar o que pode dar errado, e que estejam aptos a falar sobre os riscos e contextos de emergência.

Treine os funcionários para que saibam como agir em caso de emergências

Todo colaborador, ao ser admitido — ou quando passar por alteração em sua função, que implique em mudança de risco —, precisa receber informações a respeito dos procedimentos a serem adotados em situações emergenciais.

Capacite a equipe para lidar com os riscos

Caso as atividades da empresa envolvam trabalho com altura, por exemplo, os funcionários devem ser treinados não somente para evitar a queda, mas também, a realizar o resgate e outras ações em caso de acidente.

Treine as brigadas

Não está ligado a apenas capacitar as equipes de brigadistas para o risco de incêndio, mas sim, compreender qualquer situação de ameaça que possa acontecer, e ter times preparados para atuar nela.

Qual a importância de elaborar um Plano de Resposta à Emergência?

Por meio desse documento, fica mais fácil gerenciar os riscos e indicar o que os funcionários devem fazer para evitar imprevistos. Isso porque sua finalidade é resguardar a vida, o patrimônio e o meio ambiente, bem como garantir a continuidade de funcionamento da empresa. Nele, são organizados os procedimentos para situações emergências, com o intuito de minimizar as perdas em casos de anormalidade. Promove um reforço à prevenção e ao controle, evitando a ocorrência de sinistros na organização, considerando os imprevistos que podem ocorrer dentro e fora da empresa, além dos procedimentos técnicos e organizacionais que devem ser aplicados para evitar e reduzir os impactos ambientais, às pessoas e à propriedade. Sendo assim, integra parte do Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR), com o objetivo de que as tipologias acidentais, medidas e recursos adequados contribuam para a diminuição de impactos negativos, além de dimensioná-los. Entre os motivos que justificam a elaboração do plano, estão:
  • delimitação de princípios, regras e diretrizes de atuação, levando em consideração só cenários possíveis para a ocorrência de um acidente;
  • estabelecimento da possibilidade de os acidentes ocorrerem conforme o ambiente e os riscos identificados;
  • organização do socorro e as maneiras pelas quais ele pode ocorrer, bem como definir as atribuições de cada membro da equipe de ação do plano;
  • evitar erros e falhas que podem gerar várias consequências irreversíveis em caso de emergência;
  • regulamentação das ações que têm a finalidade de diminuir os impactos negativos do incêndio;
  • antecipação das práticas a serem adotadas para a evacuação do local;
  • permissão para testar os procedimentos e a rotina por intermédio de métodos de simulação.
Como pode perceber, é fundamental que a empresa esteja preparada para os cenários de emergência e, dessa forma, evitar que seus impactos gerem consequências bastante negativas para os resultados do negócio. Sendo assim, é importante observar as estratégias apresentadas, verificar os riscos inerentes à estrutura da organização e atividades exercidas. Com isso, criar um gerenciamento de riscos efetivo e que mantenha a companhia apta a lidar com qualquer tipo de situação. Achou este artigo útil para você? Então, aproveite para seguir as nossas redes sociais e ficar por dentro de publicações atuais sobre outros temas relacionados. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts