EPIs para condomínios: conheça os principais

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

A administração de um condomínio, seja ele residencial ou comercial, inclui uma série de tarefas para que tudo funcione perfeitamente. Cuidar da fachada, da limpeza e do jardim são só algumas das demandas que ficam sob a responsabilidade dos colaboradores. Nesse sentido, contar com EPIs para condomínios — como botas e luvas de segurança — é essencial porque garante a integridade física desses funcionários.

É função do síndico cobrar e fiscalizar o uso dos equipamentos, sempre prezando pelo bem-estar da sua equipe. Os EPIs devem ser comprados em lojas especializadas e portar a devida certificação de qualidade. Assim, a manutenção condominial será sempre bem-sucedida e livre de riscos. Não sabe quais são os equipamentos necessários? Continue a leitura e faça a sua lista!

Importância dos EPIs em condomínios

É muito comum as pessoas pensarem que somente as grandes obras feitas em edifícios demandam o uso de equipamentos de proteção. Ledo engano, pois até mesmo os serviços mais corriqueiros — como a coleta de lixo e entulhos — exigem o uso de EPIs para preservar a integridade do trabalhador.

Uma simples limpeza de calçada, por exemplo, pode causar um acidente grave se o funcionário não estiver calçando uma bota adequada para piso molhado. As luvas, então, nem se fala. Elas são imprescindíveis para qualquer tarefa que inclua contato direto com produtos químicos e outros materiais que podem ser tóxicos.

Cabe ao síndico alertar os funcionários do condomínio quanto à NR6, Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que torna obrigatório o uso de equipamentos de proteção para qualquer atividade que ofereça risco às equipes. Já a compra dos EPIs é de responsabilidade dos empregadores, que também deverão treinar e orientar os funcionários sobre o uso, manuseio e conservação dos equipamentos.

Principais EPIs para condomínios

Limpeza das áreas comuns, manutenção da fachada, recolhimento do lixo e serviços de serralheria e jardinagem são algumas das tarefas que exigem o uso de EPIs em condomínios. Em seguida, listamos as características dos principais equipamentos necessários.

Capacete e viseira

O capacete e a viseira protegem a cabeça e a face do trabalhador em caso de quedas, sendo, portanto, equipamentos fundamentais para quem trabalha em altura ou sobre andaimes. Além disso, eles impedem que resíduos de materiais de construção ou a luminosidade em excesso comprometam a visão do funcionário.

Botas de segurança

Existem vários tipos de calçados de segurança, a depender do grau de risco que a atividade oferece. Por exemplo: para serviços realizados em locais que contenham produtos tóxicos armazenados, as botas de PVC são as mais recomendadas. Já se o risco é quanto a eventuais acidentes com queda de peso, o ideal é utilizar modelos com alta resistência a impactos. Esses são alguns dos modelos mais comuns de botas de segurança:

  • botas de proteção contra impactos;
  • botas de proteção contra agentes térmicos;
  • botas de proteção contra umidade;
  • botas de proteção contra produtos químicos;
  • botas de proteção contra choques elétricos;
  • botas de proteção contra agentes cortantes.

Luvas de proteção

Parece óbvio, mas muita gente se esquece do uso obrigatório das luvas de proteção e só vai se lembrar de colocar esse EPI quando já está em contato com os materiais impróprios. Assim como as botas, o tipo de luva vai depender do grau de risco da função exercida.

Para transportar itens pesados, recomendam-se por exemplo, luvas de suporte têxtil com revestimento de borracha nas palmas das mãos. Assim, reduzirá o risco do objeto escorregar e o trabalhador terá muito mais firmeza para carregar os materiais. Já para aqueles serviços corriqueiros como limpeza de áreas comuns e recolhimento do lixo, as luvas de látex ou as luvas nitrílicas são as mais indicadas.

Óculos de proteção                                                      

Serviços de solda, serralheria e carpintaria (corte, perfuração, lixamento de superfícies etc.) são exemplos de tarefas que exigem o uso de óculos de proteção, evitando que lascas de material atinjam os olhos do trabalhador. Também é fundamental que os óculos tenham proteção contra os raios UV, no caso de funcionários que trabalham expostos à luz solar.

Abafador de ruído

Esse EPI é de uso obrigatório para quem lida com ferramentas de construção e manutenção, como britadeira, estaca, serra elétrica e demais objetos barulhentos. Além de preservar a audição do trabalhador, os abafadores de ruído proporcionam mais conforto auditivo para realizar os serviços. Mas atenção: a conservação e limpeza do equipamento devem ser bastante criteriosas para evitar infecções ou outras doenças contagiosas.

Cinto de segurança

O cinto de segurança é obrigatório para quem trabalha em altura, como em andaimes. Fique muito atento à certificação do EPI, pois ele deve ser da melhor qualidade possível. O cinto deve se ajustar bem ao corpo e ficar preso adequadamente na estrutura do andaime. Nunca descuide desse item, afinal, o uso do cinto de segurança ainda é a forma mais eficaz de prevenir acidentes graves.

Normas que regulamentam o uso de EPIs

Como vimos, é dever do síndico fiscalizar o uso dos equipamentos de proteção pela equipe de serviços condominiais. A omissão por parte do síndico, além de colocar em risco a saúde dos colaboradores, pode fazer com que ele responda na Justiça do Trabalho devido à conduta inadequada.

Inclusive, o próprio funcionário tem o direito de exigir os equipamentos caso não sejam fornecidos. Por outro lado, se os trabalhadores não cumprirem com o uso, poderão ser demitidos por justa causa. O ideal é que ambos, síndico e funcionário, estejam atentos às Normas Regulamentadoras (NRs) que regularizam esse processo. Em seguida, listamos as principais:

  • NR6: refere-se a todos os equipamentos de proteção individual, entre eles os EPIs para condomínios;
  • NR7: refere-se aos exames médicos obrigatórios que os funcionários devem fazer para comprovar o estado de saúde;
  • NR9: refere-se ao diagnóstico de riscos do ambiente de trabalho;
  • NR10: refere-se às medidas de prevenção de acidentes relacionados a serviços de eletricidade;
  • NR17: refere-se às boas práticas para eliminar riscos ergonômicos;
  • NR28: refere-se às regras sobre fiscalização e penalidades em caso de descumprimento das normas de segurança;
  • NR35: refere-se às normas para trabalho em altura, como a revitalização de fachadas de prédios.

Agora que você já sabe quais são os principais EPIs para condomínios, procure uma loja especializada no ramo e adquira os itens necessários à segurança de seus colaboradores. Garantir um ambiente de trabalho saudável é dever de todos, empregados e empregadores. Lembre-se: como diz o ditado, prevenir é melhor que remediar!

Entre em contato conosco e encontre EPIs selecionados para sua empresa!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts