Entenda a importância do PCA: programa de conservação auditiva

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

É necessário que as empresas estejam sempre atentas aos riscos que o ambiente de trabalho oferece à sua equipe. Tendo em vista que um colaborador exposto a ruídos frequentes, por exemplo, pode desenvolver problemas auditivos e demais impactos à sua saúde. Isso gera absenteísmo, desmotivação, afastamento, queda de produtividade e demais prejuízos para o bem-estar e a qualidade de vida do trabalhador, bem como para o orçamento do negócio.

Sendo assim, é necessário que as organizações busquem formas de prevenir esse tipo de situação. Então, o PCA (Programa de Conservação Auditiva) foi criado justamente para esse fim. Quer entender melhor o que é, como funciona e seus benefícios? Então, continue a leitura!

O que é o PCA?

O Programa de Conservação Auditiva se trata de uma prática obrigatória, prevista na NR 9, que visa a proteção da saúde auditiva dos funcionários. Isso significa prevenir que os empregados expostos a níveis de ruídos superiores aos limites de tolerância desenvolvam perda auditiva, provocada pelo ruído ocupacional.

Assim, é o conjunto de tarefas criadas com o intuito de prevenir, minimizar ou evitar as perdas ocupacionais. Isso é feito por intermédio de atividades dinâmicas, com o auxílio de uma equipe multiprofissional, que engloba várias áreas de uma organização.

Qual é o seu objetivo?

O principal objetivo do programa na empresa é a proteção à saúde do colaborador, ou seja, prevenir o desenvolvimento de Perda Auditiva por Níveis Elevados de Pressão Sonora (PAINEPS) em empregados expostos. Além disso, busca:

  • minimizar os custos associados a insalubridade e ações trabalhistas;
  • identificar, de maneira rápida e efetiva, os funcionários com perda auditiva e demais problemas de audição;
  • adequar a companhia às exigências previstas nas normas;
  • fazer o diagnóstico prévio de doenças e outras complicações;
  • melhorar a rotina de trabalho dos membros da equipe etc.

Quem deve adotar o programa?

Conforme a NR 9, todas as organizações que exercem atividades nas quais os níveis de exposição do funcionário ao ruído seja acima de 80db devem implementar o programa, que deve ser desenvolvido pelos seguintes profissionais, preferencialmente:

  • fonoaudiólogo;
  • médico do trabalho;
  • engenheiro de segurança no trabalho;
  • enfermeiro do trabalho;
  • e técnico de segurança no trabalho.

A avaliação do programa precisa ser feita anualmente, por meio de auditorias que considerem todas as medidas do PCA.

Quais etapas fazem parte do PCA?

A finalidade do programa é aplicar ações efetivas para elaboração, execução e gestão do Programa de Conservação Auditiva, para que a saúde dos colaboradores expostos a níveis de ruídos elevados seja preservada.

Entre as etapas que não podem deixar de ser empregadas para a criação responsável do PCA — e, assim, analisar as particularidades, atender às principais necessidades e atingir a efetiva prevenção da perda auditiva ocupacional — estão:

  • análise do processo e das condições de trabalho: nesse caso, é preciso identificar as características da organização e os riscos ocupacionais auditivos aos quais os profissionais estão expostos;
  • gerenciamento dos exames audiológicos: é preciso diagnosticar precocemente os casos de perda auditiva funcional, direcionar e fazer os encaminhamentos apropriados para cada especialidade médica;
  • gestão das medidas de controle individual: é feito o acompanhamento dos colaboradores que apresentaram uma piora da perda auditiva;
  • acompanhamento ambiental: é avaliada a exposição dos funcionários a riscos ocupacionais que possam provocar perdas auditivas;
  • gestão de ações de controle coletivo: práticas de controle ambiental, administrativas e medidas de controle individual;
  • gerenciamento dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI): nessa etapa, é feita a indicação do EPI, documentação de entrega, treinamento para o uso correto, conservação e higienização, fiscalização dos cuidados aplicados e do uso, e averiguação do EPI quanto a seu conforto, durabilidade, entre outros.

Quais são os cuidados necessários na implementação do PCA?

Além da realização do exame de audiometria ocupacional, que se trata do recurso usado para mensurar a capacidade auditiva do trabalhador, esse programa também precisa abranger outras ações para reforçar os resultados a serem alcançados com essa medida, como:

  • reconhecimento de riscos para audição;
  • gestão da saúde auditiva do empregado, por intermédio da avaliação das audiometrias ocupacionais;
  • medidas de proteção auditiva individuais e coletivas;
  • engajamento e uso correto dos equipamentos de proteção adequados para os riscos auditivos identificados;
  • treinamento dos membros da equipe.

Quais são os benefícios do PCA para a empresa e o trabalhador?

O PCA proporciona uma melhora na qualidade de vida e bem-estar dos profissionais. Também, viabiliza o fim da insalubridade decorrente do ruído presente no ambiente de trabalho. Isso porque, ao eliminar os agentes causadores do risco, o pagamento de adicional de salubridade não é mais devido, o que gera economia para o negócio. Além disso, a empresa que implementa o PCA de maneira correta consegue alcançar um aumento de produtividade, já que é possível diminuir o estresse e a fadiga causados pelo ruído elevado.

Outros pontos a serem ressaltados estão ligados ao cuidado da organização em se adequar às exigências previstas na norma. Assim, fazer o melhor para empregar medidas eficientes que foquem na saúde e na segurança do colaborador, o que vai fortalecer a imagem da empresa perante mercado, clientes e integrantes da equipe.

Também, ocorre a diminuição de gastos extras decorrentes de novas contratações, promoções de treinamentos, melhorias na relação entre os trabalhadores, redução de gastos com eventuais indenizações alcançadas por meio do ajuizamento de demandas judiciais etc.

Todos esses cuidados são fundamentais para a criação de um planejamento consistente e adequado às normas regulamentadoras. O que vai gerar vantagens relevantes para empresa e funcionários, como aumento da produtividade, redução das taxas de afastamento e absenteísmo, promoção da motivação e engajamento do time, além de evitar prejuízos oriundos de multas e ações judiciais ajuizadas pelos trabalhadores.

O PCA (Programa de Conservação Auditiva) envolve todo um processo de monitoramento e controle do local de trabalho, com o objetivo de eliminar os níveis sonoros capazes de gerar danos à audição do empregado e demais impactos, por meio da identificação de problemas e antecipação das ações adequadas para o controle de riscos.

Este artigo esclareceu as suas dúvidas? Então, aproveite para compartilhar em suas redes sociais e contribuir para que seus contatos entendam melhor a respeito do tema!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts