EPI em odontologia: quais os principais para prevenir contaminações?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

EPI em odontologia: quais são os equipamentos descartáveis utilizados no setor e como eles ajudam a evitar contaminações? Com a pandemia do coronavírus, a preocupação com esse assunto aumentou e, com ela, também surgiram dúvidas dos pacientes e doutores. Mas, antes de sair correndo para a revenda de EPI, que tal solucionar todas elas?

Continue a leitura e descubra o que é o equipamento de proteção individual na odontologia e como escolher os seus.

O que é equipamento de proteção individual?

Antes de falarmos especificamente do papel do EPI na odontologia, precisamos, primeiro, definir o que é equipamento de proteção individual. O EPI é um dispositivo ou produto que é utilizado individualmente para proteger contra riscos da jornada de trabalho. No caso dos consultórios de dentista, os EPIs cumprem a função de ajudar a manter a higiene dos procedimentos e evitar a contaminação.

São exemplos de equipamentos de proteção individual utilizados nos consultórios de dentista os óculos e as luvas de proteção.

É comum, quando falamos de EPI, haver certa confusão entre esses equipamentos e outras modalidades de vestimenta que fazem parte do uniforme do dentista. 

De acordo com os treinamentos recebidos pelos profissionais, são de uso obrigatório no consultório:

  • touca ou gorro;
  • máscara;
  • óculos de proteção;
  • avental;
  • luvas de procedimento, cirúrgicas ou de proteção térmica; e
  • sapatos.

Todavia, segundo a NR 6, a Norma Regulamentadora que nos diz o que é e o que não é EPI, no consultório, apenas podem ser considerados equipamentos de proteção individual aqueles que possuem Certificado de Aprovação. A lista, portanto, fica mais curta, com apenas:

  • máscara;
  • óculos de proteção; e
  • luvas de procedimento, cirúrgicas ou de proteção térmica.

Isso quer dizer que os outros equipamentos não protegem contra a contaminação? Pelo contrário. A nomenclatura EPI apenas determina que esses são os equipamentos de proteção individual reconhecidos pela lei como fundamentais na prática odontológica. 

Como os EPIs em odontologia previnem contaminações?

Com a pandemia da covid-19, a ideia de contaminação passou a fazer parte das nossas vidas. Mas, no consultório do dentista, essa ameaça sempre esteve presente. Afinal, boa parte dos procedimentos envolve contato direto com fluidos, como o sangue.

Por isso, o uso de equipamentos de proteção individual sempre foi fundamental nessa área. São as luvas, as máscaras e os óculos de proteção que evitam que os fluidos do paciente entrem em contato com a mucosa da pele do dentista e vice-versa, garantindo que os dois estão protegidos.

O uso adequado do EPI no consultório é uma boa prática fundamental para dentistas. Cabe ao paciente verificar para que, em todos os seus atendimentos, os EPIs sejam utilizados corretamente e descartados posteriormente. 

Quais os EPIs em odontologia?

Abaixo, vamos dar uma olhada no papel de cada equipamento de proteção individual no consultório odontológico e entender qual a função deles no atendimento. Fique atento, pois essa lista está atualizada para a covid-19, ou seja, os equipamentos mencionados aqui vão ajudá-lo também contra a doença. Confira!

Óculos protetores

Os óculos protetores são provavelmente o EPI mais lembrado pelos pacientes do consultório. Afinal, ele é utilizado também por eles durante os procedimentos. 

Para proteger a região dos olhos, recomenda-se a utilização desse equipamento de proteção individual que ajuda a impedir o contato de fluídos com a mucosa dos olhos e também contribui para diminuir o contato entre o paciente e a radiação, quando do uso de aparelhos que a emitem.

Luva de proteção

As luvas cumprem um papel importante sendo a barreira entre as mãos do dentista e a boca, local em que mais está propenso o acontecimento de contaminações. Por isso, elas devem ser verificadas por órgão competente e ter Certificado de Aprovação emitido para serem vendidas em território nacional. 

Luvas devem ser confortáveis e resistentes para que não se rasguem facilmente durante um procedimento e possam ser descartadas depois.

Protetor facial ou face shield 

O face shield já era utilizado por alguns profissionais odontológicos, especialmente para procedimentos específicos em que o contato com a radiação é maior. Esse EPI, porém, ganhou um papel diferente com a pandemia de coronavírus e tem sido utilizado para minimizar ainda mais o risco de contato com o vírus que provoca a doença.

O face shield é um escudo de polietileno de mais ou menos meio milímetro que é preso no rosto por uma cinta. Vale lembrar que face shield não é EPI e, portanto, não possui certificado de aprovação. Ele serve apenas como uma proteção adicional para garantir a sua segurança e a de pacientes.

Como escolher EPIs em odontologia?

Para fazer a melhor escolha de EPI em odontologia, nada como contar com a ajuda do seu fornecedor de EPI. Ele está munido de todas as informações de que você precisa para dominar o uso de EPI nas clínicas odontológicas e se proteger adequadamente, dentro e fora do período de pandemia.

No entanto, há também algumas dicas que você pode seguir para garantir a boa escolha do EPI. Anote-as aí!

Encontre um bom fornecedor

O fornecedor de EPI é quem cumpre a ponte entre quem precisa de equipamento de proteção individual e quem o fabrica. Por isso, um bom fornecedor é imprescindível para conseguir atender bem aos seus clientes. Ele garantirá não apenas que o equipamento correto chegue ao seu consultório, mas também que nunca falte EPI para os seus procedimentos.

Verifique a qualidade do produto

Assim como em qualquer outra categoria de produto, existe EPI que é mais barato pela baixa qualidade. Compare o custo-benefício dos equipamentos utilizados no seu consultório antes de encher o carrinho para garantir a sua proteção e a proteção dos seus pacientes.

Faça um teste de EPI

Por último, não se esqueça de testar os equipamentos de proteção individual utilizados em odontologia. EPIs são vendidos em tamanhos diferentes para que possam atender bem ao seu propósito e ser vestidos confortavelmente. Experimente mais de um tamanho para ver aquele que melhor se adequa às suas necessidades.

O EPI em odontologia é uma importante barreira para evitar a contaminação por vírus e bactérias. Por isso, o seu uso é obrigatório em todo o território nacional. Para não errar na escolha desse EPI, fique atento às dicas que aprendeu aqui e fale com o seu fornecedor de EPI sobre a Volk do Brasil.

A Volk do Brasil tem experiência de décadas no mercado nacional, tanto no segmento odontológico quanto em outros setores importantes da economia. Se você gostou de conhecer esses EPIs utilizados nos consultórios, visite nosso site e aprenda tudo sobre o tema!

Inscreva-se em nossa Newsletter

Cadastre-se para receber notícias sobre Segurança e Saúde no Trabalho.
É GRÁTIS!

Mais Posts